12 de fev de 2012

Máscaras e a Alegria Carnavalesca

Quando me falam de carnaval me vem um desejo enorme de conhecer o Carnaval de Veneza, cidade no coração da Itália. Os românticos mascarados, com seus belos trajes e suas máscaras misteriosas.
Para quem não conhece o Carnaval em Veneza surgiu no século XVII, quando a nobreza saia para se misturar com o povo usando máscaras para cobrir o rosto. E até hoje a festa  virou tradição que dura 10 dias.
Os registros mais antigos mostram que as máscaras começaram a ser usadas à partir 02 de Maio de 1268. Em 22 de Fevereiro de 1339 foi proibido andar de máscaras nas ruas da cidade a noite.
As festas carnavalescas em Veneza são elaboradas em grande estilo com bailes e companhias que desfilam pela cidade como os Antigos e os Ardentes.


Eu sempre tive uma fascinação grande por máscaras. Sempre encarei a vida de cara limpa, pouca maquiagem e muita naturalidade e as máscaras muito me fascinam por este lado misterioso e intrigante.Querer se esconder , querer experimentar novos rumos, ousar no desconhecido. Conhecer verdadeiramente o mundo através da máscara. Enxergar a vida além do objeto que cobre o rosto.
Um rosto anônimo na multidão, mas com um olhar de quem quer conhecer e experimentar a vida.




Quem me conhece sabe... curti muito as agitações no Carnaval... rsss sou brasileira. E aqui é o país do carnaval. Mas, o que sempre me encantou no carnaval foram as marchinhas antigas, o triângulo amoroso entre Pierrot, Arlequim e Colombina,  os sambas antigos e saudosos. A Alegria da minha família com suas brincadeiras e bagunças, tudo muito saudável e divertido.
Me fascina os grandes desfiles das escolas de samba.  Toda a elaboração de um espetáculo, envolvendo pesquisas , moda, história, teatro, dança , apresentação, tudo um pouco do que faço e vivencio no dia-a-dia   da moda e desfiles .




A música que me encanta é Noite dos Mascarados, cantada pela voz de Chico Buarque, grande conhecedor da alma feminina. Sabe tocar  em sentimentos saudosistas através da música como ninguém.

Noite dos Mascarados - Chico Buarque

Quem é você?
Adivinhe, se gosta de mim
Hoje os dois mascarados
Procuram os seus namorados
Perguntando assim:
Quem é você, diga logo
Que eu quero saber o seu jogo
Que eu quero morrer no seu bloco
Que eu quero me arder no seu fogo

Eu sou seresteiro
Poeta e cantor
O meu tempo inteiro
Só zombo do amor
Eu tenho um pandeiro
Só quero violão
Eu nado em dinheiro
Não tenho um tostão
Fui porta-estandarte
Não sei mais dançar
Eu, modéstia à parte
Nasci pra sambar
Eu sou tão menina
Meu tempo passou
Eu sou Colombina
Eu sou Pierrot

Mas é carnaval
Não me diga mais quem é você
Amanhã, tudo volta ao normal
Deixe a festa acabar
Deixe o barco correr
Deixe o dia raiar
Que hoje eu sou
Da maneira que você me quer
O que você pedir
Eu lhe dou
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser
Aos olhos desta carnavalesca com olhar saudoso de carnavais que não vivenciou, tudo se encaminha para um lado romântico e histórico.  E não pensem que não acho bacana olhar os blocos pulando de alegria  através da televisão. Adoro! Mas  estes para mim ficam para os animadinhos rsss Para participar prefiro os mais tradicionais e elegantes, com histórias e o algo mais misterioso.





Minha mãe é da cidade do frevo! Sim , Recife, e acho fascinante as construções dos bonecos a desfilar pela cidade nos blocos. E a dança animada do frevo com seus guarda-chuvas coloridos. É artístico, interessante demais, o Brasil vive o momento carnavalesco em total criatividade.




As festas carnavalescas realmente espalham alegria. Contagia as pessoas, distribuindo vontade de sambar , ou de aprender a sambar rsss

Meu olhar carnavalesco é mais artístico. Gosto dos temas, da elaboração das fantasias, de ouvir o samba enredo, das marchinhas e máscaras. E para quem curte o carnaval como eu... fica aí o sonho de ir a um baile Veneziano curtir seus mistérios ou descer a ladeira de Olinda misturada a multidão de foliões e seus bonecos gigantes.

Bjs e bom Carnaval.

Kris Melo