17 de jan de 2014

PARIS PREMIÈRE PRESTA HOMENAGEM À ALTA COSTURA

A Semana de Alta Costura de Paris começa a 19 de janeiro e o canal de televisão francês, Paris Première, aproveita a ocasião para prestar homenagem ao savoir-faire das casas de Alta Costura através de um documentário inédito, intitulado "#Couture : Les nouvelles reines de la haute". Com transmissão agendada para o dia 26 de janeiro, o documentário analisa a evolução da Alta Costura e o trabalho de uma nova geração de designers, incluindo Delphine Manivet e Iris van Herpen.

Delphine Manivet lançou a sua própria marca em 2004 e faz parte do grupo de jovens designers que transformaram o tradicional vestido de noiva em criações inovadoras, contemporâneas e mais próximas do pronto-a-vestir, enquanto Iris van Herpen é considerada uma pioneira da impressão 3D na indústria da moda. A jovem designer holandesa tendo tido um impacto considerável no mundo da Alta Costura, pela sua combinação única entre o artesanato tradicional e a inovação tecnológica. As suas formas esculturais e futuristas, enriquecidas por jogos de luz e materiais inovadores como o Plexiglas posicionam-se entre a Alta Costura e a Arte Contemporânea.

Paris Première destaca, assim, uma nova geração de designers de Alta Costura que não hesita em misturar tradição e inovação nas suas criações.

FOTOS: Criações de Iris van Herpen


LANVIN COMEMORA O SEU 125º ANIVERSÁRIO





Lanvin é uma das casas mais antigas e com mais história na indústria da moda. O que começou em 1889 como um negócio de família no apartamento de Jeanne Lanvin no número 15 da rua Faubourg-St.Honoré, em Paris, transformou-se nos anos 1920 e 1930 numa das marcas de moda de eleição de atrizes de Hollywood como Marlene Dietrich. Jeanne Lanvin deixou um legado extraordinário, a que Alber Elbaz tem dado continuado desde que assumiu a direção criativa da casa em 2000.

Este ano, a Lanvin comemora o seu 125º aniversário e revisita os momentos mais marcantes da sua história através de uma série de ações no seu website e redes sociais. Além de estar a preparar uma exposição sobre o seu património, a casa de moda parisiense aposta na divulgação de conteúdos exclusivos que fundem o seu passado, presente e futuro. Em fevereiro, inaugura no seu website, www.lanvin.com, uma nova seção intitulada Lanvin History, que revelará fotografias inéditas, vídeos de arquivo e ilustrações de época de Jeanne Lanvin, fundadora da marca. Muito ativa nas redes sociais, a Lanvin pretende usar também o seu Facebook, Instagram e Pinterest para comunicar com o seu público. Desde 1 de janeiro (dia do aniversário de Jeanne Lanvin), a casa francesa tem divulgado todas as quintas-feiras no Facebook conteúdos exclusivos relacionados com as datas mais importantes da sua história. No Instagram publica fotografias de objetos do escritório de Jeanne Lanvin e no Pinterest imagens ou vídeos que revelam os seus códigos. Por fim, o número "125" foi acrescentado na parte inferior do famoso logótipo Lanvin.

Conheça a história da Lanvin em www.lanvin.com e nas redes sociais da casa através da hashtag #Lanvin125. Parabéns Lanvin!




12 de jan de 2014

RETROSPETIVA DE KATE MOSS

No mês em que comemora o seu 40º aniversário, Kate Moss é homenageada numa nova exposição, intitulada “Kate Moss: 40 - A Retrospective”, que estará patente na Imitate Modern Gallery, em Londres, de 17 de janeiro a 15 de fevereiro de 2014

O artista e anterior jornalista Russell Marshall retrabalhou 10 retratos icónicos de Kate Moss, que abrangem toda a carreira da famosa modelo britânica. “Enquanto outras celebridades vêm e vão, Kate fica ... Ela cresce, brilha e torna-se mais icónica a cada ano", declarou Russell Marshall ao WWD. 

Os 10 retratos serão apresentados em 10 cores diferentes, num total de 100 combinações distintas. As fotografias serão acompanhadas por uma mini biografia de Kate Moss e algumas das suas citações mais famosas. 




FOTOS: © Russell Marshall


PUBLICADA POR ASSOCIAÇÃO MODALISBOA

HUSSEIN CHALAYAN DESENHA COLEÇÃO DEMI-COUTURE PARA VIONNET

Hussein Chalayan vai assinar a próxima coleção Demi-Couture da casa Vionnet, que será apresentada a 21 de janeiro, na Semana de Alta Costura de Paris. 

Foi no passado dia 3 de janeiro que a casa parisiense anunciou a nomeação de Hussein Chalayan como designer da sua linha Demi-Couture. Reconhecido pelas suas criações visionárias e vanguardistas, o designer britânico / cipriota vai trabalhar em estreita colaboração com Goga Ashkenazi, presidente e atual diretora artística da Vionnet. Entusiasmado e honrado com esta oportunidade, Hussein Chalayan tem como missão imaginar uma coleção de vestidos únicos e prestar homenagem ao savoir-faire da casa parisiense, conhecida pelos famosos drapeados e cortes em viés imaginados por Madeleine Vionnet. "A energia criativa e abordagem empreendedora de Goga Ashkenazi, juntamente com a herança incomparável da casa torna esta uma colaboração emocionante para mim", disse Chalayan ao WWD.

A primeira coleção Demi-Couture assinada pelo designer será apresentada no final deste mês, na Semana de Alta Costura de Paris. Com uma abordagem artística e conceptual da moda, Hussein Chalayan vai decerto surpreender. 



PUBLICADA POR ASSOCIAÇÃO MODALISBOA

6 de jan de 2014

Um guarda-chuva de luxo

Indispensável nos próximos dias, a crer nas previsões do Instituto de Meteorologia, o guarda-chuva é um acessório de moda muitas vezes menosprezado, mas que Michel Heurtault elevou ao estatuto de artigo de luxo, criando verdadeiras obras de arte que passam de geração em geração. 

dummy
Um guarda-chuva de luxo

Facilmente partidos e muitas vezes perdidos, os humildes guarda-chuvas não são muitas vezes vistos como artigos de luxo, Mas para o francês Michel Heurtault, cujas criações podem atingir os milhares de euros, é isso mesmo que eles são. O artesão de 48 anos usa os melhores materiais para os seus guarda-chuvas e guarda-sóis, que são feitos para durar e passar de geração em geração.
Apesar dos seus preços elevados, a loja de Heurtault em Paris atrai clientes de todo o mundo – uma princesa do Qatar escolheu uma pega de guarda-chuva com chagrém, uma espécie de couro, com um valor superior a 8 mil euros.
«Os guarda-chuvas sempre foram a minha paixão», afirma Heurtault. «Eram o meu brinquedo favorito quando era pequeno. Era fascinado por eles – o que a minha mãe achava muito estranho!», revela, lembrando como os costumava desmontar e usar as peças de dois para criar um único guarda-chuva.
Michel Heurtault criou o seu negócio apenas em 2008, mas algumas das suas ferramentas têm mais de 100 anos. O cenário é também especial, num arco elegante do século XIX de um antigo viaduto sob a linha de comboio no leste de Paris, que alberga muitas lojas chiques de artesãos reconhecidos.
«Todos esses guarda-chuvas são feitos na China», afirma à medida que vê os peões passarem pela loja, num dia chuvoso. «Aqui, tudo é feito à mão, o que é único», sustenta Heurtault, que também restaura e cria guarda-chuvas para a indústria cinematográfica.
O sócio de Heurtault, Jean-Yves Thibert, diz que os australianos e os japoneses são «fanáticos por guarda-sóis», enquanto os guarda-chuvas têm mais seguidores nos EUA e na Europa, sobretudo na Áustria e na Alemanha.
O artigo mais barato para senhora custa 250 euros e é feito em seda, com uma pega revestida a couro. Para homem, o mais barato custa 490 euros, o valor de um guarda-chuva elegante em twill de seda com uma pega em madeira de ácer. «Não encontra este tipo de acabamento em mais nenhum sítio», garante Thibert.
Michel Heurtault desespera, contudo, com a cultura de deitar fora de hoje. «As coisas estão a tornar-se cada vez mais baratas, não duram, quebram facilmente e são descartáveis. Estes guarda-chuvas são feitos para durar gerações», sublinha. «Nos anos 50, as pessoas não perdiam os guarda-chuvas, cuidavam deles», observa. «Hoje uma rapariga compra um guarda-chuva por 10 euros, ele parte-se e ela compra outro por 10 euros. Claro que não dura».
Heurtault faz as coisas de forma diferente. Os clientes podem optar por guarda-chuvas personalizados, escolhendo a pega, o tecido, o padrão e a madeira. «Isto é o verdadeiro luxo, não é standardizado», destaca Thibert, mostrando várias pegas antigas adquiridas um pouco por toda a França. Uma é feita de marfim com incrustações de pérolas.
No seu trabalho para a indústria cinematográfica Heurtault fez recentemente guarda-sóis para uma versão do filme Cinderela, com Cate Blanchett, e para um recente filme de Woody Allen.
«Os figurinistas em filmes de época recorrem a mim porque não têm outra escolha. Estes métodos tradicionais perderam-se», lamenta Michel Heurtault, que começou a sua carreira como figurinista, trabalhou para a ópera e fez corpetes para Christian Dior.
O artesão foi recentemente nomeado Master of Art, uma homenagem da França aos seus artesãos profissionais altamente qualificados. «É a maior honra para um artesão», afirma com orgulho. «Vejo-o como um enobrecimento com base no mérito», conclui.
 

Fonte: AFP

5 de jan de 2014

ACQUASTUDIO - FÁBRICA DE VESTIDOS CRIATIVOS

Ainda estudante de moda , tive o prazer de visitar a ACQUASTUDIO. Grande marca que desfila  no SPFW e Fashion Rio. Maravilhada nunca esqueci esta marca  que me encantou com suas criações exclusivas e seus modelos únicos.



A empresa fica na Barra Funda. Um endereço modesto para uma marca gigante.  A empresa já esteve em endereços como a Oscar Freire, e alguns pontos onde o aluguel era altíssimo, o que refletiam nos preços dos vestidos.  Os vestidos eram caros  e atendiam apenas aqueles que podiam pagar o preço. A mudança para a Barra Funda foi feita de forma inteligente , com o objetivo do crescimento da marca e visando uma maior acessibilidade aos modelos.
Aos meus olhos , a exclusividade e genialidade do negócio me encanta  mesmo após se passarem cinco anos desta visita, e tornam a empresa modelo para minhas aspirações.
Eu vejo a marca crescer nos desfiles, e tornar suas criações cada vez mais belas.
A empresa possui um método organizado de fabricação de seus vestidos,  mantendo as tiragens limitadas e produzindo modelos exclusivos.
O que me encantou é o fator criação. Pensar numa produção de vestidos um diferente do outro, no máximo duas peças por modelo? É preciso muita visão criativa para não acabar se atrelando as cópias que invadem a moda brasileira. Cada modelo de vestido é único e tem personalidade.


Os clientes da empresa são também noivas que em seu momento especial querem encantar no seu dia  com vestidos exclusivos.  A cliente que compra um vestido de festa  dificilmente corre o risco de encontrar o mesmo vestido na mesma festa.  Seria bem  constrangedor não acha?

Os vestidos são desenhados pela estilista Esther Balman, que utiliza drapeados, plissados e aviamentos de qualidade. A confecção dos vestidos é feita de forma quase artesanal, com o toque pessoal da estilista.

Esther Bauman


A primeira pergunta que fiz a estilista foi : Do que as mulheres gostam? O que elas procuram num vestido? E o que ela me respondeu: decotes. Dependendo da idade, ombros à mostra, decotes em V, decotes discretos.

A Fábrica é pequena, com um show-room encantador.  O desenvolvimento, o corte e a pilotagem dos vestidos são feitos internamente dentro da fábrica, mostrando que não é preciso muito espaço para se criar com qualidade. O mais importante é ter profissionais competentes que estejam comprometidos em fazer o melhor.
Fazer vestidos com tecidos caros necessitam que o corte seja interno, acompanhado de perto pela estilista, evitando erros e desperdícios.

O atendimento no Show-room faz a diferença. Vestidos confeccionados com exclusividade necessitam de um atendimento pessoal e exclusivo. Um show-room limpo, organizado e acolhedor, com vendedoras simpáticas  deixando a cliente à vontade.

Vestidos pendurados , com cores monocromáticas para venda na pronta-entrega, não notei nenhum vestido estampado e vestido de noivas com preços acessíveis  prontos para serem ajustados ao corpo da cliente.

O investimento em marketing é feito através dos desfiles. As peças dos desfiles são confeccionadas por oficinas de costura  com total controle de qualidade. Os desfiles e a notoriedade gerados pela ocasião, permite que a marca esteja num ambiente  onde possa criar relacionamentos, como festas estratégicas e outros desfiles importantes , para mostrar o luxo e  a qualidade , estando na  mídia  direcionada ao seu público-alvo.

Acquastudio - Verão 2014
Acquastudio Inverno 2013


Não basta  fazer os melhores vestidos, ter um bom trabalho, é preciso cultivá-lo com boas sementes. Saber administrar os negócios, ter controle de qualidade eficiente, possuir profissionais qualificados, ter foco em público-alvo e cultivar bons relacionamentos.

Parabéns ACQUASTUDIO, por fazer moda criativa no BRASIL!

Beijos

Kris Melo