24 de dez de 2013

LOUIS VUITTON PRESTA HOMENAGEM ÀS MULHERES NA SUA CAMPANHA PRIMAVERA/VERÃO 2014

Marc Jacobs dedicou a sua última coleção para a Louis Vuitton às mulheres que o inspiram. A nova campanha publicitária primavera / verão 2014 da casa francesa segue o mesmo espírito e apresenta uma série de oito retratos das musas do designer.

Catherine Deneuve, Sofia Coppola, Gisele Bundchen, Fan Bingbing, Caroline de Maigret, Edie Campbell e a modelo que abriu o último desfile de Marc Jacobs para a Louis Vuitton foram fotografadas por Steven Meisel. A simplicidade do cenário e a contida paleta cromática permitiram destacar a personalidade de cada mulher, bem como as diferentes variações da Noé para a próxima primavera/verão. A icónica mala surge em novas versões com plumas, com aplicações de cristais ou tachas, em pele lisa ou de crocodilo e em tela monograma com acabamentos a couro preto.

A campanha será lançada em fevereiro de 2014 nas revistas de moda de todo o mundo.


20 de dez de 2013

DAVID KOMA, NOVO DIRETOR CRIATIVO DE MUGLER




David Koma é o novo diretor criativo da linha de pronto-a-vestir de senhora da marcaMugler. O designer georgiano estabelecido em Londres sucede, assim, a Nicola Formichetti, que deixou a empresa em abril passado, para assumir a direção artística da Diesel. As primeiras criações de David Koma para a casa fundada por Thierry Mugler em 1973 serão apresentadas em junho de 2014, com a coleção cruise 2015, e o seu primeiro desfile na Semana de Moda de Paris, primavera-verão 2015, ocorrerá em setembro de 2014.

Thierry Mugler celebrizou-se pelas suas inovadoras e fantasiosas criações, entre o final dos anos 70 e o início dos 90. Após a sua saída no início de 2000, a casa cessou a sua atividade, para reabrir alguns anos mais tarde, em 2008, sob a direção criativa de Rosemary Rodriguez e posteriormente Nicola Formichetti. O designer recuperou o brilho da casa, com coleções modernas inspiradas nos arquivos de Thierry Mugler. Oito meses após a sua saída, a casa anuncia o nome do seu sucessor: David Koma.

David Koma, 28 anos, estudou artes plásticas em São Petersburgo, antes de se mudar para Londres, em 2003, para se formar na Central Saint Martins. Fundou a sua marca homónima em 2009, e conquistou de imediato várias modelos e celebridades, como Natalia Vodianova, Naomi Campbell, Miranda Kerr, Eva Longoria, Lady Gaga, Kylie Minogue e Beyonce, com as suas criações sensuais e futuristas inspiradas nas criações de Geoffrey Beene ou Thierry Mugler. Hoje tem as suas coleções à venda em 55 lojas multimarca.

Virginie Courtin-Clarins , diretora de marketing e comunicação do grupo Clarins, detentor da Mugler, explicou a razão da nomeação do designer: "Queríamos escrever uma nova página para a Mugler, colocá-la novamente no mapa da indústria. Com David Koma teremos o potencial para modernizá-la", confessou, acrescentando que a silhueta feminina do designer é muito parecida à promulgada por Thierry nos anos noventa.

Esta é uma grande oportunidade para David Koma brilhar. A par da sua atividade para a Mugler, o criador vai continuar a desenvolver a sua própria marca. 

18 de dez de 2013

A ARTE DE EDVARD MUNCH EM EXIBIÇÃO NO MUSEU DE ARTE MODERNA DE ZURIQUE

Até 12 de janeiro de 2014, o Museu de Arte Moderna de Zurique (The Kunsthaus Zürich) dedica uma exposição única à arte do pintor norueguêsEdvard Munch (1863-1944), um dos mais importantes precursores do expressionismo alemão.

Tristezas, obsessões e desencantos pessoais ganham formas e cores, nas telas de Edvard Munch. A sua obra abriu caminho para o desenvolvimento do Expressionismo, movimento artístico centralizado na Alemanha entre os anos de 1905 e 1930, que é conhecido como a arte do instinto. No Expressionismo, a subjetividade ganha contornos dramáticos nas pinceladas e os sentimentos alcançam uma nova plasticidade.

As telas de Munch eram o espaço para a manifestação das suas dores e emoções. Eram a sua forma de comunicar com o mundo. A maioria girava em torno do sofrimento, morte, amor, paixão, solidão e tristeza, temas que o artista recuperou várias vezes de forma intensa e apaixonada. Edvard Munch era igualmente obcecado pela repetição de certos motivos, tendo recriado muitas das suas obras mais famosas – “The Scream”, “The Sick Girl”, “The Vampire” – com diferentes técnicas, ao longo da sua carreira.

Cento e cinquenta telas de Munch - desde as suas primeiras gravuras à sua última litografia - estão agora em exibição no Kunsthaus Zürich, dando aos visitantes uma oportunidade única para apreciar a sua obra. A exposição é acompanhada por um catálogo, intitulado “Munch: A Genius of Printmaking”.


FOTOS: Courtesy of The Munch Museum / The Munch-Ellingsen Group/2013, ProLitteris, Zurich

1 - “Anxiety”, 1896
2 - “The Shouts”, 1895
3 - “Girl on the Bridge”, 1918
4 - “Madonna”, 1895/1902
5 - “Head to Head”, 1905




16 de dez de 2013

PREVIEW DA EXPOSIÇÃO DE CHARLES JAMES NO MET





Em 2014, o Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque vai homenagear o criador de moda anglo-americano, Charles James. A exposição, intitulada“Charles James: Beyond Fashion”, estará patente de 8 de maio a 10 de agosto.

Depois de, em 2012, promover um encontro improvável entre Miuccia Prada e Elsa Schiapparelli, e de na última primavera ter dedicado uma grandiosa exposição à moda punk, o Metropolitan Museum of Art prepara-se agora para analisar o trabalho de Charles James, conhecido como um dos primeiros costureiros americanos.

Com uma abordagem escultural, científica e matemática da modelagem, Charles James “esculpiu” exuberantes vestidos de baile e peças de alfaiataria, tendo redefinido as normas da moda da década de 1950, com os seus cortes complexos e mistura de diferentes materiais, como veludo, cetim, seda e crepe.

A exposição do MET reunirá cerca de uma centena das suas criações mais notáveis, juntamente com esboços e amostras de tecidos, em dois locais: o The New Costume Institute, e as galerias no primeiro andar do museu.


FOTOS: Courtesy of The Metropolitan Museum of Art

1 - Vestidos de baile Charles James, 1948 (em cima)
© Cecil Beaton

2 - Charles James, 1952
© Michael A Vaccaro

3 - Nancy James com vestido Charles James Swan Gown, 1955
© Cecil Beaton

4 - Vestido de noite Charles James, 1946

5 - Austine Hearst com vestido Charles James, 1953






14 de dez de 2013

“MARC NEWSON: AT HOME” EM EXIBIÇÃO NO PHILADELPHIA MUSEUM OF ART

Até 20 de abril de 2014, o Philadelphia Museum of Art apresenta "Marc Newson: At Home", a primeira exposição individual nos EUA do designer australiano, Marc Newson, que reúne os seus projetos mais importantes e desvenda o processo criativo subjacente a algumas das suas principais criações, evidenciando a sua evolução como designer.

Um dos mais aclamados e influentes designers internacionais da sua geração, Marc Newson manipula referências e proporções com elegância e simplicidade. Cada projeto seu é sempre uma experiência clara e objetiva com a forma e o material utilizados. A característica mais marcante do seu trabalho talvez seja a falta de fronteiras. Newson já desenhou tudo, desde objetos móveis e utensílios domésticos até bicicletas, carros e jatos privados, algumas peças produzidas em massa, outras de edição limitada. Como diretor criativo da Qantas Airways, redesenhou os interiores e acessórios dos Airbus, incluindo a iluminação de cabine, os bancos, e até mesmo o serviço de mesa.

"Marc Newson: At Home” reúne as criações mais conhecidas de Marc Newson, num ambiente doméstico, desde a cadeira em fibra de vidro da Cappellini, o concept car 021C que desenhou para a Ford, a bicicleta MN que desenvolveu para a Biomega, a icónica cadeira “Lockheed Lounge”, uma versão em alumínio de uma chaise longue do século XVIII, ou os ténis Nike Zvezdochka. 

As criações de Marc Newson fazem parte das coleções permanentes do Museum of Modern Art em Nova Iorque, do London Design Museum, do Museé National d’Art Moderne – Centre Georges Pompidou e do Vitra Design Museum. 

13 de dez de 2013

"THE RETURN" - O NOVO FILME DE KARL LAGERFELD



“The Return”, a nova curta-metragem de moda escrita e dirigida por Karl Lagerfeld vai ser apresentada amanhã em Dallas, Texas, no desfile “Paris-Dallas”, que inaugura o Métiers d’Art 2013/14, e simultaneamente em chanel.com.

Depois da apresentação, no passado mês de maio, da curta-metragem “Once Upon a Time…”, na qual Karl Lagerfeld explora os primeiros dias de Gabrielle Chanel em Deauville, em 1913, o kaiser volta a revelar o seu talento cinematográfico, ao dirigir “The Return”, que foca o regresso de Chanel ao mundo da moda e a reabertura da sua casa de Alta Costura, em 1954, em Paris.

Após 15 anos de ausência, devido à Segunda Guerra Mundial, Coco Chanel regressa com uma coleção notável, que viria a caracterizar o clássico visual Chanel e mudaria para sempre a forma como as mulheres viam a moda, mas que na altura foi muito mal recebida e criticada. Apenas Neiman Marcus, a loja de luxo baseada em Dallas, mostrou interesse pelas novas criações de Chanel.

Este filme trata-se, assim, de um agradecimento a Dallas e aos Americanos. "Foi a América que redescobriu Chanel e este filme é o nosso "obrigado". Sem a América, ela [Coco Chanel] teria terminado toda a operação", declarou Karl Lagerfeld.

“The Return” conta com um elenco de luxo. Geraldine Chaplin interpreta o papel de Coco Chanel, ao lado de Amanda Harlech, que surge como editora de moda da Vogue Americana, Bettina Ballard, Sam McKnight a assumir o papel de mordomo e Rupert Everett como jornalista de TV americano.

Veja o trailer.

6 de dez de 2013

Gaultier deslumbra em NY

Depois de Madrid, Roterdão, Estocolmo e San Francisco, a retrospetiva com as peças icónicas de Jean Paul Gaultier está patente em Nova Iorque. Uma mostra pejada de sex-appeal e sagacidade, que traça o percurso do criador francês, da infância aos soutiens icónicos desenhados para Madonna.

dummy
Gaultier deslumbra em NY
A exposição, no Brooklyn Museum, reúne sob um único teto objetos tão diversos como o urso de peluche da infância do designer francês, uma fotografia da sua avó e os soutiens cónicos que desenhou para Madonna.
Cheio de um entusiasmo contagiante pela vida, pela moda e pela magia única de Nova Iorque, Gaultier afirma sentir-se muito satisfeito e honrado com esta retrospetiva. No entanto, simplesmente colocar as suas roupas num museu era demasiado «parado» para o criador, cuja exposição inclui manequins que andam e falam, incluindo um que é uma reprodução à sua imagem. É este manequim em tamanho real, com a sua voz, imitando as suas expressões faciais e vestindo as mesmas riscas de marinheiro que o tornaram icónico, que faz a introdução à visita.
«Adoro teatro, adoro espetáculos… Queria manter a exposição viva», explica Gaultier. «É uma nova aventura. Olhei novamente para as roupas que fiz e tentei fazer algo diferente, apresentá-las de uma outra forma», refere.
“The Fashion World of Jean Paul Gaultier: From the Sidewalk to the Catwalk” (ou “O Mundo da Moda de Jean Paul Gaultier: do Passeio à Passerelle”, em português), o nome da exposição, apresenta 130 dos seus coordenados mais icónicos de alta-costura e pronto-a-vestir nos últimos 40 anos.
Para além de fotografias, esquissos e os seus perfumes, há uma fotografia da sua avó, uma das suas primeiras musas, e o seu urso de peluche Nana, com o qual fez os seus primeiros seios cónicos, a partir de papel de jornal.
Depois há as roupas. Os destaques incluem corpetes e soutiens usados por Madonna nas suas tournées mundiais em 1990 e 2010. Um incrível vestido de noiva em forma de sereia feito de um fato completo de latex com escamas douradas, soutien com conchas cónicas, saia com lantejoulas e uma pequena cauda de sereia em latex é outro dos pontos altos da exposição. O mesmo acontece com o vestido usado pela atriz americana Sarah Jessica Parker nos MTV Movie Awards em Nova Iorque, no ano 2000.
A exposição, que estará em Nova Iorque até 23 fevereiro, já foi vista por um milhão de pessoas em Dallas, San Francisco, Madrid, Roterdão e Estocolmo.
Gaultier assume sentir-se lisonjeado por ter a exposição em Brooklyn, a parte de Nova Iorque cada vez mais na moda, que no passado era olhada de lado pelos habitantes de Manhattan.  «Brooklyn é uma parte muito “hip” de Nova Iorque e sinto-me muito honrado, na minha idade», brinca.
O criador afirma que adora «a diversidade, a energia e a adrenalina, a forma de vida à americana. É a abertura das pessoas, claro, pessoas de raças diferentes que se juntam, tanta energia».
Gaultier ainda lembra as montras de Nova Iorque – «mais bonitas que as de Paris» – que o impressionaram nos anos 70, quando começou a sua carreira.
Quando a exposição abriu em Montreal em junho de 2011, resistiu inicialmente mas desde então mudou completamente a sua opinião. «Aprendi muitas coisas. Os museus podem ser uma inspiração», revela.
A exposição está dividida em sete temas que acompanham o desenvolvimento da carreira de Gaultier, inspirado pelo movimento punk na Grã-Bretanha e a Belle Epoque em França. Começa com “Odissey” e artigos da sua primeira coleção em 1971, antes de chegar ao “The Boudoir”, com Nana, o urso de peluche e os soutiens emprestados de Madonna. Há uma secção para as suas musas e uma área “Punk Cancan” que alberga um fato de corpo completo que cobre o rosto, conjugado com um chapéu. Mais à frente está “Skin Deep”, que junta as suas criações que parecem uma segunda pele. “Metropolis” expõe as suas colaborações em palco e nos ecrãs e “Urban Jungle” contém criações multiétnicas.
A exposição, montada pela diretora de Museu de Belas Artes de Montreal, Natalie Bondil, e com a curadoria de Thierry Maxime Loriot, deixará Nova Iorque em direção a Londres, onde estará aberta ao público no Barbican de 9 de abril a 17 de agosto.


Fonte AFP

5 de dez de 2013

MARIO TESTINO PUBLICA E EXPÕE “ALTA MODA”

As tradições e os trajes festivos de Cusco foram a principal inspiração do famoso fotógrafo peruano, Mario Testino, para a exposição “Alta Moda”, que inaugurou este fim de semana no Queen Sofia Spanish Institute, em Manhattan.

Mario Testino passou os últimos cinco anos a viajar pela cidade montanhosa de Cusco, juntamente com Derek Blasberg e Karlie Kloss, e revela agora o resultado da sua investigação: 27 fotografias de homens, mulheres e crianças vestidos com coloridos ponchos e trajes típicos do Peru. Fotografias únicas que mostram um mundo exuberante raramente visto, particularmente pelo público de Testino. Os opulentos trajes foram fotografados num cenário tradicional pintado a partir dos arquivos de Martin Chambi, fotógrafo indígena do Peru.

“Nesta série quis fazer algo realmente diferente do meu trabalho e da fotografia em geral. Tentei condensar o máximo possível de história em cada imagem”, explicou Mario Testino. “Este foi um projeto muito pessoal e especial porque tive a oportunidade de mostrar ao mundo a beleza, riqueza histórica e importância da tradição peruana”.

Para acompanhar a exposição foi lançado um livro homónimo com reproduções das 27 fotografias, notas do editor da Vogue americana, Hamish Bowles, e uma edição limitada de 2500 cópias.




4 de dez de 2013

BROOKLYN MUSEUM EXPÕE OBRA DE JEAN PAUL GAULTIER

“From the Sidewalk to the Catwalk”, a primeira exposição internacional dedicada à obra do célebre criador francês, Jean Paul Gaultier, está patente no Brooklyn Museum, em Nova Iorque, até 23 de fevereiro de 2014.

“From the Sidewalk to the Catwalk” é uma mostra multimédia organizada em sete temas que traçam as principais influências no trabalho de Gaultier – das ruas de Paris ao cinema – desde que emergiu como designer na década de 1970. Em exibição estão aproximadamente 140 criações de Alta Costura e pronto-a-vestir, do início da sua carreira até à atualidade. Trinta manequins vestidos com criações icónicas do designer “ganham vida” através de projeções audiovisuais: várias celebridades, incluindo o próprio Gaultier, “emprestaram” os seus rostos para serem projetados nos manequins.

A mostra inclui também acessórios, esboços, figurinos, trechos de filmes e gravações de desfiles de moda, concertos e performances de dança, bem como fotos de grandes fotógrafos de moda e artistas contemporâneos que entraram no mundo de Gaultier e exploraram, de forma inesperada, as suas criações de vanguarda e códigos estéticos.

Teatral e exuberante, “From the Sidewalk to the Catwalk” é uma exposição imprescindível para os admiradores do trabalho de Jean Paul Gaultier.


FOTO (à direita): © Paolo Roversi. Coleção de pronto-a-vestir Jean Paul Gaultier outono/inverno 1984–85.


22 de nov de 2013

10 ANOS DE Y-3

A casa de moda japonesa, Yohji Yamamoto, retraça a história da Y-3, a linha de sportswear criada em colaboração com a Adidas, num livro de edição limitada, intitulado "10 Years of Y-3", que combina as principais campanhas publicitárias da marca com fotografias dos seus produtos mais icónicos.

Em 2003, Yohji Yamamoto foi pioneiro ao se associar à marca desportiva Adidas, para criar Y-3, um projeto inovador que tinha como objetivo tornar o sportswear elegante. Para comemorar o 10º aniversário desta linha, a marca japonesa reúne imagens de arquivo, desenhos, protótipos, fotografias de bastidores e desfiles, num livro inédito que capta a essência do estilo Y-3. Com direção artística de PL Studios e uma edição limitada de 2000 exemplares, "10 Years of Y-3" será oferecido como agradecimento aos embaixadores e colaboradores da marca, não estando disponível para venda. Os fãs da marca que não tiverem a sorte de ser presenteados com um dos 2000 exemplares, poderão folhear o livro nas lojas Y-3 e no website da marca:www.y-3.com


15 de nov de 2013

DIESEL TRIBUTE

Nicola Formichetti foi nomeado diretor artístico da marca Diesel em abril passado e revelou recentemente a sua primeira coleção cápsula para a marca italiana, intitulada #DieselTribute. Tendo como ponto de partida o arquivo histórico de 35 anos da marca, o designer presta homenagem ao ADN da Diesel e redefine a sua linguagem visual com peças personalizadas, detalhadas e originais. “Visitar as fábricas da Diesel em Itália foi incrível. A decisão de usar estes materiais encontrados no arquivo de uma forma nova foi imediata. Esta nova edição limitada e exploração artesanal do denim e couro são dois importantes passos no futuro design da Diesel”, comenta Nicola.

A coleção cápsula é dividida em duas linhas diferentes - denim e couro. A primeira foi lançada no passado dia 4 de novembro e a segunda será apresentada em fevereiro de 2014. A coleção completa apresenta uma mistura de produtos femininos e masculinos, 45 peças no total que incluem vestuário, denim, acessórios e roupa interior. A coleção denim, composta por 11 peças de vestuário, 7 de acessórios e 4 opções de roupa interior, restaura o prestígio do denim e apresenta detalhes como rebites aplicados à mão e emblemas de inspiração rock cortados e colocados manualmente, que tornam esta linha especial e irresistível para os admiradores da marca.

Para comunicar o lançamento e o conceito da sua primeira coleção para a Diesel, Nicola Formichetti contou com a colaboração do célebre fotógrafo britânico Nick Knight e da equipa de criativos digitais do SHOWStudio. Fotografada inteiramente com iPhone, a campanha #DieselTribute explora as falhas e filtros das melhores apps de foto e vídeo, tais como Glitchè, Megaphoto, Instagram, PickPlayPost, e traduz as linguagens das redes sociais num novo conceito visual nunca usado anteriormente. Além da divulgação em plataformas sociais específicas como o Tumblr, Facebook e Instagram, o conteúdo digital capturado nesta campanha vai também despoletar instalações digitais em lojas Diesel selecionadas.

"Quero tornar a Diesel a marca mais cool do planeta. Estamos a planear muitas coisas 'loucas' para o futuro", afirma Nicola Formichetti.



O QUE TE FAZ AMAR A MODA?


Os estilistas, os designers e os profissionais envolvidos na criação das roupas, como, costureiras, modelistas, cortadores, entre tantos outros, enxergam a moda de uma forma diferente. Não só pelo consumo. Nós olhamos os detalhes, muitas vezes pequenos que nos encantam. Um botão colorido, uma tesoura, a velha máquina da vovó, aquele manequim antigo....
Um lápis colorido, um rabisco, um desenho... 
São tantos detalhes que nos fazem sonhar.... Que nos fazem acreditar e amar a profissão que escolhemos.
Não somente pelo glamour, muitas vezes por trás do espetáculo, o glamour nem passa perto, mas por pequenos detalhes que fazem parte da nossa vida, e nos estimulam a criar, a inventar para finalmente vender sonhos , muitos sonhos que se tornem Moda. 













Mais detalhes de Moda? 
Visite e curta a página Moda Brasil e Mundo no Facebook 


Beijos

Kris Melo