31 de mai de 2014

"ALEXANDER MCQUEEN: SAVAGE BEAUTY" CHEGA AO V&A MUSEUM EM 2015

“Savage Beauty”, a célebre retrospetiva dedicada a Alexander McQueen vai instalar-se no Victoria & Albert Museum, em Londres, de 15 de março a 19 de julho de 2015. Uma excelente oportunidade para descobrir ou redescobrir as fabulosas criações do designer britânico, desde a sua coleção de final de curso em 1992 até às suas últimas propostas para o outono/inverno 10/11. Cada coordenado será apresentado num cenário especial, fazendo eco à grandiosidade dos desfiles de Alexander McQueen.

Apresentada pela primeira vez em fevereiro de 2011 no Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, “Alexander McQueen: Savage Beauty” presta homenagem ao genial designer britânico, às suas múltiplas inspirações e extraordinárias contribuições para o mundo da moda.

Dividida em 6 temas - The Romantic Mind; Romantic Gothic and Cabinet of Curiosities; Romantic Nationalism; Romantic Exoticism; Romantic Primitivism; Romantic Naturalism – a retrospetiva inclui 100 peças de roupa e 70 acessórios pertencentes aos arquivos de Alexander McQueen em Londres e Givenchy em Paris, assim como a várias coleções privadas. As criações de McQueen faziam muitas vezes referência às silhuetas exageradas dos anos 1860, 1880, 1890 e 1950, mas a sua habilidade técnica, sensibilidade e excecional capacidade de inovação mantiveram-no na vanguarda da criação de moda.



26 de mai de 2014

GISELE BÜNDCHEN PROTAGONIZA NOVA CAMPANHA DE CHANEL Nº5




O perfume lançado em 1922 pela célebre criadora francesa Coco Chanel e imortalizado por Marilyn Monroe - desde que a atriz declarou que dormia nua, apenas com algumas gotas de Chanel Nº 5 - continua a fazer história, 92 anos após a sua criação. Celebrizada por grandes ícones da beleza feminina, como Catherine Deneuve, Carole Bouquet, Nicole Kidman ou Audrey Tautou, a fragrância de mulher mais famosa do mundo terá em breve um novo rosto: a célebre modelo brasileira Gisele Bündchen.

O realizador da nova campanha é Baz Luhrmann, que há uma década assinou uma das publicidades mais fantasistas do perfume, protagonizada por Nicole Kidman. A atriz interpretava uma estrela de cinema que se apaixonava por um jovem “boémio” (Rodrigo Santoro) e juntos fugiam para um refúgio de sonho...

Gisele Bündchen está esta semana em Nova Iorque para filmar a nova campanha de Chanel Nº 5, que será divulgada no final de 2014. A modelo brasileira é atualmente o rosto de Les Beiges, a nova linha de maquilhagem da Chanel, que ganhou o prémio de beleza da Vogue.

23 de mai de 2014

Elogio à diferença

Inconformismo e irreverência são características que o designer de moda francês Jean Paul Gaultier pode ter assimilado de uma das suas cidades preferidas – Londres –, onde acaba de inaugurar uma exposição retrospetiva da sua carreira, numa espécie de tributo à cidade que considera a sua casa. 
dummy
Elogio à diferença
Jean Paul Gaultier presta homenagem a Londres e ao «culto britânico da diferença» com uma grande retrospetiva no Barbican, inaugurada no passado dia 9 de abril na capital da Grã-Bretanha. «Esta exposição é uma espécie de tributo do meu amor por esta cidade», declarou na abertura da exposição “O mundo da moda de Jean Paul Gaultier, da rua à passerelle”. «Sinto-me mais em casa em Londres do que em Paris, de certa forma. Há aqui uma energia única, uma excentricidade única», revelou, acrescentando que a cidade ainda é uma enorme fonte de inspiração para ele.
O carismático designer, vestido da cabeça aos pés de preto, conseguiu algumas gargalhadas ao declarar que os britânicos tinham agora melhorado bastante na cozinha e que, na realidade, eram «pequenos marotos», ao contrário da sua imagem de puritanos. Lembrou ainda que os britânicos foram os primeiros a demonstrar interesse pelo seu trabalho, enquanto os franceses inicialmente «não quiseram saber». «Sempre adorei a individualidade e as pessoas com caráter e é verdade que em Londres há mais caráter do que em qualquer outro lugar», afirmou. «Eles têm este culto de ser diferente de que eu gosto particularmente», explicou.
Foi na capital britânica – onde veio «para se divertir» nos anos 70 – que Jean Paul Gaultier fez duas descobertas significativas: a loja de moda Biba, que descreveu como «um sonho», e a peça de teatro “The Rocky Horror Show”, que influenciou fortemente o seu trabalho posterior.
Londres é a oitava paragem da exposição, lançada no Museu de Belas Artes em Montreal em 2011. A retrospetiva, já vista por milhões de visitantes segundo a organização, chegará a Paris, ao Grand Palais, em 2015.
A influência de Londres em Jean Paul Gaultier é destacada na exposição através das silhuetas de punks com grandes mohawks. A exposição também presta tributo às suas “musas” britânicas, incluindo Amy Winehouse, Kate Moss, David Bowie e Boy George.
Uma sala está dedicada ao “Eurotrash”, o programa de televisão para adultos apresentado por Jean Paul Gaultier e Antoine de Caunes no britânico Channel 4 nos anos 90. Um destaque em particular mostrava o par mascarado de Príncipe Carlos e a sua esposa Diana, o que lhe valeu o título de «programa mais nojento na história da televisão britânica» por parte do jornal tabloide The Sun.
A exposição estará patente em Londres até 25 de agosto.

Fonte: AFP

NOVO LIVRO “PAPER PLAY” REVELA AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO PAPEL


NOVO LIVRO “PAPER PLAY” REVELA AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO PAPEL


O papel é um material surpreendente. Livros, cartas, pinturas, revistas começam todos com papel. Num mundo cada vez mais digital, surge, no entanto, uma questão. O papel poderá estar a tornar-se obsoleto? “Paper Play”, o novo livro publicado pela Sandu Publishing, contraria essa noção, mostrando as criações de uma variedade de artistas que manipulam o papel de múltiplas e fantásticas formas.

Através de cortes, colagens, dobragens, uma comum folha de papel pode transformar-se numa obra de arte, expressando as visões únicas de vários artistas. De esculturas a vestidos, de papéis de parede a joias, de lanternas a relógios de sol... Através de uma seleção de projetos inovadores e surpreendentes, “Paper Play” dá a conhecer as propriedades especiais do papel.




FOTOS:
1 - “Flower Construction #25” - Anne Ten Donkelaar
2 - “Méduses Lumineuses” - Géraldine Gonzalez
3 - “Miss Garland: Paper Doll” - Bea Szenfeld
4 - “Comrade by Accident” - Cecilia Levy
5 - “Red” - Cecilia Levy

“DIOR: THE LEGENDARY IMAGES”


O novo livro de fotografias “Dior: The Legendary Images”, publicado pela Rizzoli New York, revela a beleza das criações Dior através das lentes de grandes fotógrafos como Nan Goldin e Paolo Roversi.

Quando Raf Simons apresentou a sua coleção de Alta Costura outono/inverno 13/14 para a casa Dior criou uma experiencia visual singular. O designer desafiou quatro dos fotógrafos mais influentes da atualidade - Paolo Roversi, Patrick Demarchelier, Terry Richardson e Willy Vanderperre - a fotografar as modelos nos bastidores, na manhã do desfile. Cada fotógrafo teve total liberdade para fazer a sua própria interpretação da coleção, que pretendia apresentar uma nova visão global da Alta Costura. As imagens resultantes foram utilizadas como cenário do desfile, formando uma tapeçaria digital, que envolvia a audiência.

São estas mesmas fotografias que agora fecham o novo livro “Dior: The legendary Images”, que traça o percurso da Dior desde 1947 até à nova era de Raf Simons.

Incluindo imagens tão icónicas como a fotografia a preto e branco de Natalia Vodianova tirada por Patrick Demarchelier e a Dovima com Elefantes de Richard Avedon, “Dior: The legendary Images” presta homenagem a alguns dos momentos mais emblemáticos da história da moda.




FOTOS (da esquerda para a direita):

1 - Looks da coleção de outono/inverno 2013. © Paolo Roversi
2 - Vestido da coleção de pronto-a-vestir outono/inverno 2012. © Inez van Lamsweerde Vinoodh Matadin
3 - Casaco de silhueta Ko-Ko-San, primavera/verão 2007. © Patrick Demarchelier
4 - Vestido Mozart da coleção de primavera/verão 1950. © Norman Parkinson
5 - Vestido da coleção outono/inverno 1951. © Cecil Beaton

"KATE MOSS: THE ICON" EM MILÃO




Até ao próximo dia 30 de maio, a Biblioteca della Moda, em Milão, presta homenagem a Kate Moss com a apresentação de uma exposição de fotografias que comemora o quadragésimo aniversário da famosa modelo britânica que revolucionou os canones estéticos e o estilo dos anos 1990."Kate Moss: The Icon" reúne uma série de imagens de fotógrafos que documentaram a carreira e a vida privada de Kate Moss, como Albert Watson, Chris Levine, Ellen von Unwerth, David Ross, Jurgen Ostarhild, Roxanne Lowit e Satoshi Saikusa, entre outros.

Descoberta aos 14 anos por Bettina Rheims, Kate Moss tornou-se a musa de diversos artistas, fotógrafos e designers de moda, e uma das modelos mais icónicas da sua geração. A menina com ar andrógino, cabelo de índio, sorriso genuíno e silhueta esguia fascinou o mundo inteiro. No final da década de 1980, a aura etérea que caracterizava as revistas de moda, com roupa elegante e cenários luxuosos, foi suplantada pela estética grunhe, caraterizada por um estilo despojado e desleixado de vestir. Kate Moss deu inicio a um novo estilo: o “dirty realism”. A imperfeição e o real tornaram-se o novo "cool" dos anos 1990.

A personalidade carismática de Kate Moss inspirou grandes designers de moda como Alexander McQueen e John Galliano, assim como uma série de artistas, incluindo Lucien Freud e Marc Quinn. Hoje, além de modelo, Kate Moss também é uma cantora, designer e musa inspiradora.

19 de mai de 2014

JIMMY CHOO LANÇA SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO


JIMMY CHOO LANÇA SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO




A casa britânica de calçado Jimmy Choo vai lançar o seu primeiro serviço Made-to-Order, oferendo às clientes a possibilidade de customizar quatro dos seus modelos de sapatos mais icónicos. Uma experiência única que estará disponível a partir de 19 de maio nas lojas Jimmy Choo da Avenue Montaigne e Rue Saint-Honoré, em Paris.

A marca que até agora tinha limitado o serviço de customização às suas clientes de maior prestígio, alarga agora esta possibilidade a um público mais vasto. Anouk, Lance, Xenie e Tite são os modelos de sapatos customizáveis com diferentes cores (vermelho, rosa, laranja, amarelo, azul, verde, preto), materiais (cetim, camurça, lantejoulas ou peles exóticas) e altura de salto. O toque final deste serviço inédito: cada par de sapatos pode ser decorado com um monograma com as iniciais à escolha de cada cliente.

O NOVO WEBSITE DE SCHIAPARELLI


O novo website de Elsa Schiaparelli apresenta desfiles interativos, detalhes do ‘making of’ das coleções e inspirações que remontam à época da criadora italiana. 


Elsa Schiaparelli (1890-1973) ou Schiap, como gostava de ser chamada, nasceu em Roma. Considerada a melhor designer de moda do período entre guerras, abriu a sua primeira loja na década de 1920 e causou escândalo com as suas criações de vanguarda inspiradas nos trabalhos dos artistas mais importantes da sua época: Salvador Dalí, Jean Cocteau, Alberto Giacometti e Francis Picabia, entre outros.

Depois de um triunfo de décadas, Elsa Schiaparelli fechou a sua loja no final de 1954 e com ela a fábrica de sonhos de onde nasceram algumas das criações mais surreais da história da moda. Sessenta anos depois, o espírito desta criadora sem limites, que aliou o humor à fantasia e tornou icónicos o rosa shocking e o trompe l’oeil, ressuscitou, graças ao talento do diretor criativo Marco Zanini e o empenho do empresário Diego Della Valle. A renovada casa Schiaparelli, que há alguns meses atrás decidiu criar apenas por encomenda e sem seguir os ciclos semestrais da indústria de moda, lança agora um novo website interativo.

De onde parte uma coleção? Como nasceu o brocado “Crabe” e porque é que ele se tornou um dos leitmotiv da primeira coleção de Zanini? Quantas horas de trabalho manual são necessárias para criar um tule de seda com o efeito de bouquet de flores? As respostas a estas questões, entre muitas outras, encontram-se em Schiaparelli.com.

 

10 de mai de 2014

KRISTEN STEWART PARA CHANEL: O “MAKING OF”




Fotografada por Karl Lagerfeld e protagonizada por Kristen Stewart, a nova campanha Métiers d'Art Paris-Dallas da Chanel é inspirada no estilo dos cowboys de Texas.

Kristen Stewart evoca a jovem Calamity Jane, vestida com ponchos, peças em tweed de tons terra e looks de cowboy. Veja o making of da campanha, cujas primeiras imagens acabam de chegar às revistas de todo o mundo.

Febre Moss invade Topshop

A mais recente coleção de Kate Moss para a retalhista britânica, que está também à venda online, voltou a gerar filas à porta da loja de Oxford Street, com muitas fashionistas a aguardarem horas para terem a oportunidade de serem as primeiras a comprar algumas das 40 peças icónicas recriadas pela top model. 
dummy
Febre Moss invade Topshop
A modelo britânica e ícone de estilo fez uma aparição na loja da Topshop em Oxford Circus no dia 29 de abril para o lançamento da sua mais recente linha de vestuário para a retalhista de moda, sete anos depois da sua primeira coleção. A gama foi lançada às 18h com um evento na loja londrina apresentado pelo DJ Nick Grimshaw da Radio 1, com centenas de consumidores a fazerem fila à porta.
A linha de 40 peças está disponível online e em 346 lojas em 41 países desde 30 de abril, assim como em lojas Nordstrom e em Nordstrom.com. Pela primeira vez, 38 estilos da linha estão também disponíveis no Net-A-Porter.com.
Pensada para ser um «guarda-roupa autobiográfico», a coleção apresenta recriações das peças favoritas de Kate Moss ao longo dos anos, assim como referências às suas heroínas de estilo. Os quatro temas – Baleares, pijama, hora do cocktail e tailoring negro – incluem peças que têm significado pessoal para a modelo. Os artigos chave incluem vestuário de noite com contas, vestidos cocktail em chiffon, conjuntos sedosos inspirados em pijamas, casacos decorados, blazers e jumpsuits, blusas transparentes com mangas em chiffon e calções curtos em denim com tachas.
As estudantes do London College of Fashin Jasmine Huang, Le Huang, Muran Li e Jiaying Liang fizeram fila para serem das primeiras a ver a coleção na loja. Jasmine Huang conta que «ouvimos que algumas pessoas estiveram cinco horas à espera, mas nós só chegamos 40 minutos antes da grande abertura e entramos em 30 minutos, com o terceiro grupo de consumidores. Encontrei o Philip Green lá dentro, ele estava a ajudar os clientes e a falar-lhes das roupas. Na verdade, o serviço foi bastante bom, descontraído e não tão confuso como da última vez que lançaram aqui uma coleção».
Funcionários da loja de Marble Arch, em Londres, revelaram ao WGSN que no dia seguinte houve um fluxo constante de pessoas e que muitos produtos já foram comprados. O kaftan branco bordado quase que esgotou e a camisa de algodão bordada com detalhes de bata também é um bestseller.
Os preços variam entre as 35 libras (42,60 euros) e as 600, com o produto mais caro a ser um vestido adornado exclusivo para o Net-A-Porter.com, com apenas 50 unidades disponíveis. Outros artigos de edição limitada incluem um vestido comprido recortado em cetim azul, do qual existem apenas 20 exemplares.
A primeira coleção de Kate Moss para a Topshop foi lançada em maio de 2007, com a supermodelo a posar na montra da loja de Oxford Street e as peças a tornarem-se imediatamente bestsellers. Moss também desenhou linhas para a Longchamp e para a Carphone Warehouse.
 Fonte: WGSN

V&A PRESTA HOMENAGEM A HORST P. HORST

No próximo outono, o V&A Museum, em Londres, vai dedicar uma grandiosa exposição à vida e obra de um dos mais influentes fotógrafos de moda e retrato do século XX: Horst. P. Horst (1906-99). Intitulada “Horst: Photographer Of Style”, a mostra estará patente ao público de 6 de setembro de 2014 a 4 de janeiro de 2015, dando a conhecer o valioso espólio deste grande mestre da fotografia que inclui desde naturezas-mortas até retratos de estrelas de Hollywood, nus e fotografias de moda.

Horst Paul Albert Bohrmann nasceu em Weißenfels-an-der-Saale, Alemanha, em 1906. Depois de frequentar o liceu de Artes e Ofícios em Hamburgo, mudou-se para Paris, onde estudou arquitetura com o modernista Le Corbusier e conheceu grandes expoentes da vanguarda cultural da época, como o Barão George Hoyningen-Huene, um nobre báltico nascido em São Petersburgo e fotógrafo da revista Vogue, que se tornaria o seu mentor intelectual.

A parceria de Horst com a Vogue começou em 1931, com a publicação da primeira foto da sua autoria na edição francesa da revista, em novembro daquele ano. No ano seguinte, Horst assumiu a direção de fotografia da Vogue, em substituição de Hoyningen-Hune. Em Paris, fotografou as requintadas criações de Coco Chanel, Schiaparelli e Vionnet e ajudou a lançar a carreira de muitas modelos. Na década de 1940, em Nova Iorque, experimentou diferentes técnicas cromáticas e as suas imagens foram publicadas nas páginas de várias revistas.

No início da década de 1950, iniciou a sua famosa série de fotografias de design de interiores e decoração, que continuou até os anos 80, nas revistas Vogue e House & Garden, tendo sido publicada por Barbara Plumb no livro “Horst: Interiors” (1983). Paralelamente, continuou a fazer retratos e fotografias de moda. O nu, a natureza morta, a arquitetura e a publicidade também fizeram parte do trabalho deste artista. As suas fotografias caracterizam-se por uma luz dramática, onde prevalece o jogo claro/escuro e uma abordagem aos cenários teatrais. Grande parte da sua obra é a preto e branco, mas até as suas fotografias a cores apresentam uma configuração monocromática.

A fotografia de Horst é na sua essência clássica e elegante, misteriosa e atraente. A sua obra é uma ode à beleza e o erotismo é um signo marcante do seu trabalho. Uma das imagens mais icónicas do século XX foi fotografada por Horst no estúdio da Vogue, em Paris, em 1939. Trata-se de uma modelo fotografada de costas, vestindo um espartilho Mainbocher. Dotada de uma sensualidade enigmática, esta imagem é a mais famosa e copiada de Horst, tendo sido recriada até por Madonna, no videoclip da música "Vogue", de 1990.

Horst P. Horst morreu em 1999, aos 93 anos de idade, em Palm Beach Gardens, na Flórida, deixando um valioso legado.



FOTOS: © Horst P. Horst

(Da esquerda para a direita)
1 - Moda de Verão, Vogue americana, Maio 1941.
2 - Criações de Salvador Dali para a dançarina Leonid Massines, 1939.
3 - Espartilho Mainbocher, 1939.
4 - Marlene Dietrich, Nova Iorque, 1942.
5 - Vestido de Hattie Carnegie, 1939.
6 - Round The Clock, 1987.
7 - Vestido e chapéu de Elsa Schiaparelli, 1947.
8 - Muriel Maxwell na capa da Vogue americana, Julho 1939.