27 de ago de 2012

LOUIS VUITTON RECUPERA A FIGURA DO BAGAGEIRO






Louis Vuitton acaba de lançar mais um acessório que remete para as suas origens e presta homenagem à sua relação primordial com o mundo das viagens e dos hotéis de luxo. Trata-se de um porta-chaves, denominado “Groom”, que recupera a figura icónica do bagageiro, aquele funcionário discreto que era capaz de reconhecer antecipadamente a generosidade de uma futura gorjeta, ao observar com detalhe as malas de um cliente.

“Mostra-me as tuas malas e dir-te-ei quem és”. Este era o slogan publicitário de um anúncio da Louis Vuitton em 1921, criado para a abertura da sua primeira loja nosChamps Elysées, em Paris, onde figurava uma ilustração de um bagageiro de hotel carregando as malas de um dos seus hóspedes.

Nessa época, os viajantes colecionavam, durante as suas viagens, autocolantes e etiquetas com as insígnias dos hotéis onde ficavam hospedados, para depois utilizá-las como elemento decorativo nos seus baús Louis Vuitton. De acordo com um jornal da época, os porteiros e bagageiros marcavam a bagagem do viajante em função de como e onde colocavam as etiquetas do seu hotel: “muito generoso”, “mau”, “antipático mas bem”, “sem experiência em viagens”, etc.




COLEÇÃO LACOSTE L!VE BY MICAH LIDBERG


Fiel ao seu estilo casual chic, com um toque de humor e ousadia, a marca francesa Lacoste L!ve apresenta mais uma novidade para o próximo outono/inverno 2012-2013: uma coleção cápsula unissexo criada em parceria com o artista americano Micah Lidberg. São quatro polos, quatro t-shirts e uma camisa para homem, e dois polos, uma t-shirt com decote à barco, um tank top e um vestido camiseiro para mulher, todos com estampagens de animais em variações de azul e verde ou preto e branco. Uma mala tote e um par de ténis completam o conjunto.

Inspirado pelos mistérios das viagens, pela natureza e por criaturas fantásticas, Micah Lidberg é um dos mais talentosos ilustradores da sua geração. A sua obra tem vindo a florescer, repleta de padrões, cores e detalhes. “O meu trabalho tende a ser bastante colorido, elaborado e cheio de movimento. Desde criança, sempre gostei de desenhar criaturas e ambientes. A minha obra ainda incorpora esses elementos. A natureza avassala-me em todos os seus detalhes. É um mundo tão profundo e vasto que encontro sempre algo para explorar e partilhar”, explica o artista.

Sobre a coleção que desenvolveu em colaboração com a Lacoste L!ve, Micah Lidberg afirma: “Quis que a minha coleção tivesse alguns elementos familiares, mas que ao mesmo tempo refletisse a energia e o otimismo atuais. Privilegiei as cores vivas, movimento, criaturas absurdas e outras histórias. Remete um pouco para temas favoritos da minha infância – dinossauros, discos-voadores, selvas, unicórnios…E reinterpretei até os clássicos sapatos René com um print animal. Pretendi criar uma coleção destinada aos jovens de espírito. Para mim ser adulto nada tem a ver com ser velho. Ser velho é perder a capacidade de nos maravilharmos.”

A coleção está disponível nas lojas Lacoste Braga Parque, Cascais, Vilamoura, Norte Shopping, Aeroporto de Lisboa, Amoreiras e Colombo.






26 de ago de 2012

MUSEU CALOUSTE GULBENKIAN EXPÕE “TAREFAS INFINITAS. QUANDO A ARTE E O LIVRO SE ILIMITAM”


Até 21 de outubro, o Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa, apresenta uma exposição singular que propõe uma reflexão sobre os limites da arte e do livro.
 “Tarefas Infinitas. Quando a arte e o livro se ilimitam” não se trata apenas de uma mostra de livros, mas também de obras de arte onde o livro tem uma presença determinante - pinturas, filmes, esculturas e instalações. 


Ao longo do percurso expositivo, livros iluminados medievais surgem em diálogo com obras de artistas contemporâneos, livros ilustrados do século XVII são exibidos junto a filmes e livros concetuais do século XX e livros de horas confrontam-se com publicações futuristas e livros de poesia visual.

O livro é apresentado enquanto laboratório de experiências estéticas e artísticas, interrogando e alargando também a nossa conceção tradicional de livro: será este objeto ainda um livro? Será uma obra de arte?



Tendo como ponto de partida as coleções do Museu Calouste Gulbenkian e da Biblioteca de Arte, “Tarefas Infinitas. Quando a arte e o livro se ilimitam” reúne obras e livros de artistas como Amadeo de Souza-Cardoso, Ana Hatherly, Vieira da Silva, Lurdes Castro, Alberto Carneiro, Fernando Calhau, Ed Ruscha, Filippo Marinetti, Stéphane Mallarmé, Jean-Luc Godard, William Kentridge, Gordon Matta-Clark, Lawrence Weiner, Bas Jan Adar, Diogo Pimentão, José Escada, John Latham, Robert Filliou, Christian Boltanski e Olafur Eliasson, entre muitos outros.






IMPRESSIONISMO - Arte que realmente impressiona!

Eu adoro a arte.... algumas não entendo.... A arte requer estudos. Mas sou uma grande admiradora dos grandes criadores. E respeito e admiro quem sabe expressar seus sentimentos numa tela. Mostrando o pulsar da vida através das tintas e pincéis.

E por gostar das grandes obras, São Paulo está recheada de exposições, a  qual não pude deixar de ir. Me preparei para fins de semana  para visitar estes espaços...   Dois sentimentos batendo em mim... Cansaço e prazer... Uma briga dura.

A primeira exposição que fui visitar foi a do CCBB - Centro Cultural do Banco do Brasil - obras do Musée d’Orsay. O que posso dizer? Maravilhosa! 



O que vinha a ser O Impressionismo? Foi um rótulo colocado para os artistas da época que acreditavam na impressão do momento, dispensando as técnicas de pintura que se aplicava na época. 
Acreditem... Estes quadros que hoje admiramos não foram bem aceitos na época em que foram realizadas as exposições entre 1874 e 1886 , os críticos não compreendiam e alguns foram ridicularizados  e tiveram uma aceitação lenta e respeitosa pelo público.

Os objetos eram retratados ao ar livre, com luz natural, e os artistas cada qual a sua maneira procuravam pintar  com  fidelidade o objeto. As impressões eram feitas fora das convenções artísticas  mas de preferência sob o efeito do olhar e de mudanças de luz diárias.

Minha maratona para ver esta exposição foi bem cansativa.  Quase pedi pra sair... rsss Mas pra quem não conhece a França, estar tão próxima deste rico material realmente é de uma oportunidade única.



O Minueto da Princesa Maleine ou Marthe ao Piano
Maurice Denis 1891
Alfred Stevens, “O banho” (1867)
(Claude Monet ) Régates à Argenteuil, de 1872




Filas imensas..... Imagine... Chegar as 14:00 hs  e entrar no local as 16:30 hs. E na porta quem me recebe é um relógio maravilhosamente lindo e antigo, em um prédio primoroso. Alguns podem discordar, mas apesar do prédio maravilhoso, o local não tem a estrutura para receber estas obras , com tantas pessoas querendo vê-las. O Centro Cultural é pequeno e não suporta tanta gente. E a fila lá fora só aumentava...



E foram estas as fotos que consegui tirar do local... rsss  Um cartaz dizia com todas as letras que não  era permitido fotografias e filmagens.... Então o jeito foi respeitar rsss E guardar na imagem o acervo maravilhoso que percorri naquelas salas que me deixaram de queixo caído, literalmente.
Eram tantos os quadros, auto-retratos, foram 4 andares de exposição. Guardei alguns na memória, mas me deu vontade de ir outra vez... com calma e tranquilidade, anotar cada detalhe e contar para todos.... exaltar a grande oportunidade que São Paulo está tendo de estar perto deste acervo maravilhoso.

Alguns retratavam a sociedade parisiense, e eu como designer de moda me remetia a outra época, outros tempos  em que outros viveram e me encantava com os detalhes dos vestidos e chapéus com suas cores e formas deslumbrantes.

(Claude de Monet ) Le Bassin Aux Nymphéas, Harmonie Verte, de 1899 

(Edgar Degas ) Danseuses montant um escalier

O que posso dizer? Amei! Somente gostaria de ter passado mais tempo admirando os trabalhos de cada artista... pelo menos umas duas horas... me deleitando com cada obra ao invés de ficar em filas. Mas é uma oportunidade maravilhosa estar diante de tão lindas obras. Vale a pena! 


Beijos!

Kris Melo





Impressionismo: Paris e a Modernidade – Obras-Primas do Museu d’Orsay

4 Ago a 7 OutLocal: Subsolo, térreo, 1º, 2º, 3º e 4º andares | CCBB SP Horário: Terça a domingo, das 10h às 22h 




22 de ago de 2012

LOUIS VUITTON APRESENTA NOVA CAMPANHA CORE VALUES



LOUIS VUITTON APRESENTA NOVA CAMPANHA CORE VALUES


Os dois maiores atletas olímpicos de todos os tempos estão lado a lado na nova campanha da linha de viagem Core Values da Louis Vuitton. A ex-ginasta russa Larissa Latynina, de 77 anos, e o nadador norte-americano, Michael Phelps, de 27, foram fotografados por Annie Leibovitz numa pose informal, sentados num sofá a conversar, e com uma mala Louis Vuitton aos pés.

Na fotografia, lê-se: “Duas extraordinárias viagens. Apenas uma forma de chegar lá. Larisa Latynina e Michael Phelps. Lendas da ginástica e da natação”. Segundo a Louis Vuitton, a ideia é mostrar “o desejo dos grandes homens e mulheres de mostrar a sim mesmos do que são capazes, e isto une todos os atletas”. Michael Phelps conquistou 22 medalhas, sendo 18 de ouro, e superou o recorde de 18 medalhas conquistadas por Larissa Latynina entre os anos de 1956 e 1964.

Michael Phelps - que já havia feito uma incursão no mundo da moda em 2008, quando posou ao lado da modelo brasileira Carol Trentini, para a Vogue Americana - e Larisa Latynina não são os primeiros desportistas a brilharem nas campanhas da Louis Vuitton. Mohammed Ali posou ao lado do seu neto na última campanha Core Values. Pelé, Zidane e Maradona também foram rostos da marca francesa numa campanha divulgada durante o mundial de 2010.

19 de ago de 2012

MODA PLUS SIZE POR KRIS MELO



Ainda existe a unanimidade em relação a escolha de fazer moda para mulheres magras. As passarelas e desfiles estão cheias de modelos manequim 38. O filme " O Diabo veste Prada" afirma isso com todas as letras.
Mas as coisas estão mudando.... O conceito de beleza.... A nossa realidade.  A realidade diz que as mulheres tem celulite, algumas não voltam a forma depois de terem filhos e poucas muito poucas possuem grana pra fazer uma cirurgia plástica. E por isso precisam ser discriminadas?
Não!
A moda existe para todos! Inclusive para as Plus Size! Sim e elas são lindas. São mulheres com beleza de peso, num mercado que cresce a cada dia.
Já nos comerciais de sabonete " Dove" eu achava interessante a visão. Uma visão realista das mulheres... Então é preciso abrir a cabeça e fazer moda pra estas mulheres.
Moda que as valorize, que aumente a auto-estima, que  revele as  mulheres maravilhosas que são.


O feio, o bonito é tão relativo....  Porque a maioria dos homens criam uma certa saliência na barriga e nem é cobrado tanto por isso.... E porque a cobrança em relação a estas mulheres?
É claro que existe a questão da saúde , sim não devo negar.... Mas as mulheres plus-size estão há tempos sendo discriminadas , humilhadas  o que aumenta a timidez e a ansiedade.  E desde que não atrapalhe a saúde, precisam ser valorizadas como mulher, como ser humano.
Olhar em volta antes de criticar já é um caminho.... Pois cada um tem um irmão, uma tia, ou uma avó obesa.
O planeta não é povoado de mulheres magras e manequins e sim de pessoas, de raças, cor, culturas diferentes,  seres humanos com valores  a serem considerados.
Sim, eu me preocupo com meu corpo. Porque quero e devo me sentir bem com ele, mas não preciso maltratar ninguém, nem achar que devo criticar alguém, porque cada um é responsável pelo corpo que carrega .
A Moda é para todos.  Respeito as Mulheres Plus -Size!

Kris Melo