28 de abr de 2012

A mulher Forum









A mulher Forum é descolada, moderna, e extremamente sensual. Ela tem um que de diferente. É ousada e elegante. A mulher Forum chama a atenção de quem a vê.


Bjs 


Kris Melo

Lady Gaga com roupa nova


Os novos fatos que a cantora americana vai usar na sua digressão na Ásia e na Europa, concebidos por Giorgio Armani, voltam a incorporar o estilo excêntrico de Lady Gaga, desde a utilização de pregos a chapéus elaborados com teclados de pianos, e podem ser vistos já a partir de hoje em Seul.
 
dummy
Lady Gaga com roupa nova
 Quatro dos fatos que Lady Gaga vai usar nio seu próximo concerto na Coreia do Sul foram recentemente apresentados, incluindo um body obtido a partir de guitarras e um chapéu gigante concebido com um teclado de piano.
A estrela americana vai também mostrar os fatos desenhados por Giorgio Armani em quatro outros eventos durante o arranque da sua tournée “Born This Way Ball” em Seoul, indicou a Shinsegae International, parceira de negócios de Armani na Coreia do Sul.
A diva pop chegou à Coreia do Sul no final da semana passada, uma semana antes da sua performance em Seul, que marca o início da tournée pela Ásia e por 21 cidades europeias.
O novo guarda-roupa, em linha com o estilo extravagante que já se tornou uma imagem de marca da cantora, inclui um fato completo preto feito com centenas de tubos em vinil cosidos em conjunto com pregos em metal e peças em vidro. Outro dos fatos é feito de redes e franjas decorados com peças de cristal e picos afiados.
Lady Gaga, que é bem conhecida pelo seu estilo ousado e performances provocadoras, vai também usar uma túnica comprida em latex cor da pele com estruturas triangulares no peito e cara.
A Coreia do Sul proibiu menores de 18 anos de assistirem ao concerto muito aguardado – o segundo de Lady Gaga no país – após ter sido considerado inadequado para audiências mais jovens. Grupos religiosos organizaram protestos contra o evento, acusando a cantora de promover a homossexualidade e a pornografia.
«Os fatos state-of-the-art foram fabricados a partir de materiais que simbolizam o conceito futurista desta tournée», referiu a Shinsegae, acrescentando que os fatos irão também ser mostrados em Hong Kong, Singapura, Austrália e Nova Zelândia.
Lady Gaga, cujo verdadeiro nome é Stefani Joanne Angelina Germanotta, é conhecida por canções famosas como “Bad Romance” e “Poker Face”. A cantora deverá fazer 110 espetáculos este ano após o sucesso do seu álbum “Born This Way”, que vendeu quase 6 milhões de cópias em todo o mundo e foi lançado em maio de 2011.
A profissional provocadora, considerada como um dos 100 ícones de moda com mais influência pela revista americana Time, conquistou fãs com um guarda-roupa chocante desde um vestido feito com carne crua a uma túnica concebida inteiramente com bolhas de plástico.

FONTE: AFP

"PETIT H" BY HERMÈS


A marca Hermès lançou um vídeo para apresentar o "Petit h", um atelier de recriação que tem como objetivo reaproveitar os materiais que não passaram inicialmente no rígido controle de qualidade da marca.

Artistas e designers usam as sobras dos tecidos, as sedas, o vidro, a porcelana e a pele para criar peças únicas. Novas formas e funções resultam da reutilização dos materiais e da intuição artística. Reciclar e reinventar são as palavras de ordem!


LOUIS VUITTON APRESENTA MAROQUINARIS ZOOLOGICAE


A loja da Louis Vuitton na via Montenapoleone, em Milão, acaba de ser invadida por uma série de criaturas únicas. Dezenas de animais fantásticos, criados pela artista britânica Billie Achilleos a partir de pequenos acessórios em pele Louis Vuitton, são os protagonistas de uma exposição especial que celebra o savoir faire e a tradição artesanal da casa francesa, até ao próximo dia 30 de abril.

Após uma primeira colaboração com a Louis Vuitton em 2010, Billie Achilleos – artista graduada em Artes Técnicas e Efeitos Especiais pelo Wimbledon College for Art - volta a fazer um trabalho notável, transformando malas, carteiras e pequenos artigos em pele em simpáticos animais: castor, tatu, camaleão, gafanhoto, esquilo, gato, coruja, sapo, cobra, caranguejo, pato, galo, e muitos outros.

"Sou o tipo de pessoa que vê imagens nas nuvens ou nas bolhas de sabão", afirma Billie Achilleos. "Muitas vezes vejo rostos nas flores do papel de parede. Quando comecei a trabalhar neste projeto, fui a uma loja Louis Vuitton à procura de animais nas malas. Como se eles já estivessem lá e eu necessitasse apenas de abrir os olhos para perceber que um porta-chaves Damier Graphite era na verdade uma pata de um castor. Ou que outro acessório em tela Monograma era na realidade a perna de um gafanhoto. Não há um padrão pré-determinado", afirma a artista. "Num momento há uma pilha de sacos ou pequenos objetos de couro à minha frente, algumas horas mais tarde há um sapo".

Pura criatividade!






Primeira-dama e estilista


Votadas a promotoras da solidariedade e cultura, as primeiras-damas ficam normalmente na assistência dos desfiles de moda. Mas Medni Kadyrova, esposa do primeiro-ministro checheno, resolveu ir mais longe e apresentou a sua coleção de moda islâmica numa passerelle no Dubai.
 
dummy
Primeira-dama e estilista
 A primeira-dama da Chechénia, Medni Kadyrova, mostrou a sua coleção de moda islâmica a um público no Dubai, mantendo-se contudo fiel às políticas do seu marido, que quer impor os códigos de vestuário islâmicos nesta república do Cáucaso.
Mais de 20 modelos chechenas tapadas com véu pisaram a passerelle num palácio no Dubai, envoltas em vestidos islâmicos de seda cuidadosamente bordada que as cobriam dos pés à cabeça mas que realçavam também a sua figura. O desfile culminou com uma mostra de vestidos de noiva.
Organizado pela casa de moda Firdaws (paraíso em árabe), lançada por Kadyrova há três anos, este foi o primeiro desfile do género para a marca fora da Chechénia. «Com os seus olhos bonitos e as suas figuras esguias, parecem mesmo houris», afirmou Omar, um palestino que trabalhou no desfile, referindo-se aos anjos virgens que, segundo o Corão, esperam os fiéis muçulmanos depois da morte. «Mas será que as nossas jovens mulheres, que usam tops reveladores e saias curtas, irão concordar em vestir-se desta forma?», questionou.
A Firdaws foi fundada em 2009 por Kadyrova «para oferecer às mulheres chechenas uma nova forma de vida, cheia de harmonia e serenidade, com base nas tradições islâmicas nacionais», segundo um comunicado da organização do evento.
«O Dubai foi escolhido para o desfile devido às boas relações entre os dois países e entre os Kadyrovs e a família regente» do emirato, explicou Zeina Habib, da agência de relações públicas que ajudou a organizar o evento. O Dubai é considerado «um centro de moda para além de ser um país islâmico», acrescentou.
«Os meus designs são inspirados pela beleza natural e pela graça das mulheres árabes, a quem dedico a minha coleção», afirmou Kadyrova, acrescentando que espera que o desfile no Dubai seja «o primeiro passo para a organização de muitos outros na região».
Kadyrova é casada com Ramzan Kadyrov, um antigo rebelde checheno que subiu ao poder em 2007 e que tem o apoio do Kremlin. O presidente da Chechénia considera a lei islâmica como superior «às leis da federação russa».
Pai de sete filhos, Ramzan Kadyrov deseja impor os valores islâmicos ao encorajar as mulheres a usarem lenços na cabeça e os homens a desposar várias mulheres, mesmo que tradições como a poligamia estejam em conflito com a lei russa.
 
Fonte: AFP

21 de abr de 2012

Da passerelle ao museu


Considerada por muitos como um verdadeiro génio no mundo da moda, Rei Kawakubo “trocou” a passerelle pelo museu. A coleção primavera-verão 2012 da marca Comme des Garçons está exposta no Museu Galliera, em Paris, numa mostra vanguardista bem à imagem da criadora japonesa.
 
dummy
Da passerelle ao museu
 Desde que causou um verdadeiro terramoto no mundo da moda em Paris, já no ano de 1981, Rei Kawakubo tornou-se uma figura de culto e os convites para os desfiles da sua marca Comme des Garçons são tão preciosos como ouro.
Por isso, é um raro privilégio ser capaz de ver não só um ou dois modelos mas a coleção completa para a primavera-verão 2012, mostrada na passerelle em outubro passado. «Penso que é provavelmente a primeira vez que exibimos uma coleção completa que é tão recente, não uma retrospetiva», afirma Olivier Saillard, diretor do Museu Galliera, o museu de moda de Paris.
Saillard ficou impressionado no desfile, que Kawakubo intitulou “Drama Branco” porque todas as peças são em tons de branco e creme e imediatamente pediu a coleção emprestada.
O Galliera está fechado para renovação, por isso Saillard está a explorar outros locais para montar as exposições, incluindo o novo complexo de artes e design ousado Les Docks, perto do Sena, que se presta a uma apresentação de vanguarda em consonância com as roupas da criadora.
Kawakubo mostra-se relutante em comentar as suas criações. «Tal como todos os grandes artistas, ela prefere que sejam as pessoas a olhar para o trabalho dela», afirma Saillard, «mas disse que Drama Branco se refere a todas as fases importantes na vida – nascimento, adolescência, casamento e morte».
As 33 peças que a coleção inclui são apresentadas em pequenos grupos dentro de bolhas de ar futuristas em plástico transparente para proteger as peças mas que permitem examinar as criações sob todos os ângulos, mesmo que não possam ser tocadas. Bem longe do ritmo frenético de um desfile que acaba em minutos.
A construção intricada e o trabalho manual estão mais perto da alta-costura do que do pronto-a-vestir: mangas de quimono alongadas, quase a tocar no chão, cascatas de flores artificiais nos ombros como capas ou juntas em bouquets para formar uma saia.
Alguns dos vestidos têm gaiolas de crinolina com aros revestidos de cetim. Um jumpsuit em lã creme está pintalgado com grafitis em preto e branco ou "tagging", como é conhecido em Paris, numa homenagem à rebeldia adolescente.
Estranhas, do outro mundo, estas criações quase monocromáticas, com chapéus extravagantes assinados por outros artistas, têm, sem dúvida, a assinatura de Kawakubo, embora Saillard insista que a sua coleção seguinte, para o próximo inverno, é «completamente diferente».
Mas mesmo a própria designer admite que o seu vocabulário é limitado: «infelizmente, as minhas coleções tendem a estarem concentradas e focadas em muito poucas ideias e esse é um problema comercial. Tento conseguir mais variedade mas não consigo nem devo. Não é a minha maneira», disse ao então editor da Harpers & Queen, Nicholas Coleridge, em 1988.
É precisamente a sua integridade artística e dedicação à criatividade, não contaminadas por motivos comerciais, que Saillard mais admira. E vai mais longe dizendo que «não houve uma má coleção da Comme des Garçons em 40 anos» desde que ela criou a marca e considera o Drama Branco «tocante em termos poéticos e espirituais. Ela é uma das mais fundamentais “autoras” da moda contemporânea».
Nem toda a gente aprecia a sua estética radical e austera, contudo. A revista WWD apelidou uma vez os seus designs e os do seu compatriota Yohji Yamamoto de «o visual da senhora do saco de Hiroshima».
Os visitantes da exposição, que decorre até 7 de outubro, poderão tirar as suas ilações.

Fonte: AFP

HERMÈS COMEMORA 175º ANIVERSÁRIO


Para celebrar o seu 175º aniversário, a marca de luxo francesa Hermèsapresenta, entre 8 e 27 de maio, a exposição "Leather Forever", nas galerias de Burlington Gardens, em Londres.
Desde a sua criação em 1837, a Hermès tem investigado, inovado e revolucionado o tratamento do couro, mantendo sempre os valores de qualidade e excelência. O resultado são os mais refinados acessórios como as icónicas malas Kelly Birkin.
"Leather Forever" pretende ser uma viagem sensorial através da história da marca, e da sua relação poética com o couro. Em exibição estarão peças antigas, como as encomendas pessoais dos duque de Windsor, até às últimas criações da empresa, assim como quatro versões da bolsa Passe-Guide, que representam Inglaterra, Irlanda, Escócia e País de Gales. Para identificar cada uma delas, as bolsas têm adornos típicos da cultura de cada país. A versão inglesa tem um enfeite em pelo, em referência aos chapéus usados pela guarda da Rainha. O modelo escocês, feito em tartan laranja, é adornado com o alfinete utilizado para prender os kilts. A bolsa irlandesa, em pele de crocodilo verde, apresenta um pendente em forma de trevo de quatro folhas. Já o modelo galês tem um adorno de metal em forma de dragão. Estas bolsas únicas e exclusivas foram criadas especialmente para a exposição e serão leiloadas na Christie’s entre os dias 14 de maio e 1 de junho, com as receitas a reverter na totalidade para aRoyal Academy of Arts.
Os visitantes da exposição terão ainda a oportunidade de ver ao vivo o trabalho dos artesãos que trabalham para a Hermès, que irão viajar para Londres para mostrar como se fabrica à mão um acessório em couro.

"Hermès Leather Forever"
De 8 a 27 de maio
 
6 Burlington Gardens, London W1
Horário: De segunda a quinta-feira, das 10h00 às 18h00; sextas-feiras até as 22h00.

Da inspiração à criação


40 anos após o seu desaparecimento, Cristobal Balenciaga está em Paris. As criações do mítico estilista e um vasto acervo de elementos que serviram de inspiração para a sua roupa estão reunidos numa mostra única que revela o processo criativo do homem que celebrizou, na moda, a cultura espanhola.
 
dummy
Da inspiração à criação
O grande criador espanhol Cristobal Balenciaga, considerado uma influência incontornável da moda do século XX, acumulou um vasto arquivo pessoal que nunca foi tornado público até agora, 40 anos após a sua morte. A coleção eclética de documentos, trajes, fragmentos de materiais e até vestuário de bonecas foi doada ao Museu Galliera, o museu de moda de Paris, em 1979 e esteve nos seus arquivos desde então.
Agora, o diretor do Galliera, Olivier Saillard, teve a ideia de criar uma exposição da Balenciaga à volta destes arquivos, juntando as suas criações e algumas das suas fontes de inspiração, pela primeira vez no mesmo local.
«É muito aleatória, espontânea – reunida ao longo de uma vida, de viagens à volta do mundo, presentes de amigos. Não era um colecionador especializado», explica Saillard.
A mostra dá uma visão do processo criativo de um homem que viveu nos séculos XIX e XX, um perfecionista com a reputação de ser taciturno, enigmático, muitas vezes demasiado radical para os seus contemporâneos e profundamente influenciado pela cultura popular espanhola.
Coco Chanel dizia era o único costureiro, além dela própria, que dominava todas as técnicas, desde o corte do tecido à costura e Balenciaga continua a influenciar a moda de hoje, sobretudo na arquitetura e no volume das roupas, sublinha Saillard. «Inventou, pelo menos em parte, o vocabulário da moda do século XX. No entanto, o paradoxo é que foi muito alimentado pelo período anterior», acrescenta.
Balenciaga nasceu em 1895 no País Basco e a maior parte da sua coleção tem referências ao século XIX. Continuou fascinado pelas silhuetas, as capas e casacos, que cobriram e restringiram as mulheres, tentando, ao mesmo tempo, com os seus próprios designs, animá-las e permitir movimentos mais livres.
A exposição permite aos visitantes comparar os vestidos esculturais de cocktail com os tops bolero ou capas das linhas de alta-costura dos anos 50 com os seus conterrâneos históricos de 100 anos antes.
Saillard quis criar a atmosfera dos arquivos do museu, por isso muitos artigos são mostrados deitados, como estão armazenados. As confeções frágeis em rendas, muito bordadas com fios metálicos ou incrustadas com pérolas negras, estão em gavetas abertas ao fundo dos mostradores.
A coleção é também uma prova da paixão da Balenciaga pelos trajes regionais espanhóis, desde os toureiros às bailarinas de flamenco, onde foi buscar detalhes para os seus próprios designs. «Os vestidos de noite dele eram híbridos», indica Saillard. Os vestidos luxuosos tinham toques rústicos, enquanto as cores ricas dos ritos folclóricos – vistas, por exemplo, nas bandas de veludo usadas para decorar as varandas para as procissões religiosas – também inspiraram a paleta de Balenciaga. Mesmo os chapéus dos humildes pescadores da Andaluzia inspiraram um chapéu que chegou à capa da revista Vogue. Os paramentos religiosos numa muito devota católica Espanha foram retrabalhados em casacos formais que fizeram com que as mulheres parecessem pequenos cardeais, destaca Saillard.
A exposição decorre até 7 de outubro no Les Docks, um novo complexo de design no Quai d'Austerlitz perto do Sena.

Fonte : AFP

20 de abr de 2012

VERSACE "WAVE"


As formas e os volumes das criações de Gianni Versace eram muitas vezes inspirados no passado. O designer italiano apreciava a ornamentação excessiva do rococó, olhava para a história através da lente distorcida da sua imaginação e misturava sensualidade com sumptuosidade. Entre os símbolos característicos da marca Versace - que desde a morte do designer, em 1997, está sob a direção criativa de Donatella Versace - está uma espiral barroca, um elemento gráfico que reaparece na coleção outono/inverno 2011-12.
Este mesmo motivo barroco inspirou a peça chave da nova coleção Versace Home: o sofá “Wave”. Derivado do antigo triclinum romano, mas reinterpretado de uma forma contemporânea, “Wave” é uma espécie de arabesco tridimensional que combina moda e design de interiores e será apresentado esta semana no Salone Internazionale del Mobile, em Milão.
Disponível em cores vivas como verde ácido e azul elétrico, “Wave” ostenta a riqueza e o luxo da Versace. Para Donatella, esta peça transmite a verdadeira essência da marca. “Quando a criei, quis misturar moda e design, para que as pessoas pudessem experimentar o verdadeiro lifestyle Versace. É inovadora, glamourosa e elegante”.


15 de abr de 2012

Exposição Candido Portinari - Guerra e Paz

Gosto de compartilhar tudo o que é bom. Alguns sabem que eu iria na exposição de Portinari Guerra e Paz, no Memorial mais famoso de São Paulo. A Exposição começou dia 06/02 ( data do falecimento do grande pintor)  e termina no dia 21/04.
Uma oportunidade grande para quem gosta de arte.
Projetado por Niemeyer o Memorial da América Latina é um espaço maravilhoso. Sonho de consumo... rsss Gostaria muito de ver a SPFW ou uma grande exposição de Moda passando por lá... porque o local realmente é maravilhoso.
Fui com meus filhos tentando na esperança de passar pra eles algo que gosto muito, em termos de arte, Brasil e história. Ver o mundo aqui fora além dos games e internet. E tem tanta coisa boa... Tanta gente que faz!
Apesar das Guerras, o objetivo de todos é a busca pela Paz. O importante é o viver. Viver por esta busca. Agregar conhecimentos.

Mão da Améric - Memorial da América Latina
Mão da América - Memorial da América Latina


Aonde vamos? ( Isso num domingo...  onde acordamos 7:10 hs da manhã). Imaginem o humor... rsss

Primeira pergunta dos meus filhos. Já tinham me perguntado onde íamos, quis fazer surpresa. Como mãe acho importante despertar o gosto artístico. Expliquei sobre o local, elaborado pelo grande arquiteto Oscar Niemeyer, no qual sou fã número 1 , principalmente porque ele foi meu tema de TCC de moda . Me tornei quase uma "expert" em entender um pouco das obras deste grande arquiteto.
Apesar das muitas oportunidades  cheguei a acessar apenas o local por fora, e não tinha entrado no espaço, que me deixou impressionada. Adorei tudo!

Um grande arquiteto, um grande pintor. Local propício para a unir a Arte e a Arquitetura.

Segunda Pergunta: Quem foi Candido Portinari?  Um grande pintor que soube expressar os sentimentos de uma guerra e os desejos de paz. Suas imagens expressivas de morte e de dor, e telas com sonhos de felicidade, crianças, casamento, de paz.
Candido Portinari nasceu em 30 de dezembro de 1903 no interior do estado de São Paulo. Viveu sua infância na pequena cidade de Brodowski e aos 15 anos foi morar no Rio de Janeiro, com papel e cores em punho para a imensa aventura de pintar uma pátria.
Não cursou o primário completo, mas sempre foi obstinado e talentoso e tornou-se um pintor com um acervo de mais de 5000 obras.

Durante toda a sua vida o pintor este às voltas  entre a fúria e a poesia, a ternura, o trágico e o lírico, e diante de tantos sentimentos , nos presenteou com pinturas e painéis que transmitem fortes sentimentos e pra mim os que me marcaram foi o de dor. Com imagens chocantes da guerra, onde mãe perdem seus filhos, mulheres choram suas perdas, crianças mortas, e a Morte, simbolo eminente da Guerra.
Quando fazia os estudos preparatórios para os painéis Guerra e paz, Portinari foi proibido de pintar pelos médicos, que tentavam amenizar o processo de envenenamento pelas tintas. Mas o pintor não recuou ao desafio e ao maior trabalho de toda a sua vida.

Portinari faleceu em 06 de fevereiro de 1962.

Uma frase que reflete sua trajetória:

" Se queres ser universal. começa por pintar a tua aldeia" Tolstoi




Mãos Entrelaçadas

Mãe com filho Morto

Portinari 
A obra Guerra e Paz foi encomendada pelo governo brasileiro para presentear a sede da ONU em Nova York.  Até então a obra se encontrava num local de acesso restrito no hall de entrada da Assembléia Geral. Portinari sempre sonhou em expor os painéis Guerra e Paz ao grande público.


O sonho deste grande artista se realiza quando  a sede da ONU passa por grande reforma  proporcionando a oportunidade de expor os painéis no Brasil e no exterior.

Como amante da Moda, da Arte e da  arquitetura nem preciso dizer o quanto amei a exposição. Foi realmente um domingo feliz, e novamente agradeço a Deus a oportunidade de visualizar as obras deste grande artista brasileiro chamado Candido  Portinari, que com certeza me inspirou com sua Guerra e sua Paz, porque todos nós vivemos  internamente estes sentimentos  e Portinari retratou a dor e as esperança que vive dentro de nós.

"Uma pintura que não fala ao coração não é arte. Porque só ele a entende. Só o coração poderá nos tornar melhores e é essa a grande função da Arte. Não conheço nenhuma grande Arte que não esteja intimamente ligada ao povo."

Candido Portinari


Beijos!

Espero que tenham gostado rsss

Kris Melo




13 de abr de 2012

Melhor ano de sempre na Prada


Num ano difícil para muitos, o grupo de luxo italiano Prada não se pode queixar. Muito pelo contrário, a empresa teve o seu melhor ano de sempre, com um aumento do lucro superior a 72%, graças, em grande parte, à expansão da sua própria rede de retalho, que deverá prosseguir este ano.
 
dummy
Melhor ano de sempre na Prada
 A Prada registou um aumento recorde no lucro anual, com a empresa a centrar-se no desenvolvimento da sua oferta no retalho. A empresa de artigos de luxo registou um aumento de 72,2% no lucro, para os 431,9 milhões de euros, um valor acima das estimativas da Thomson Reuters, que apontava para os 415,83 milhões de euros. O volume de negócios cresceu 24,9% no ano, tendo atingido os 2,56 mil milhões de euros, enquanto o lucro operacional subiu 50,3%, para 628,9 milhões de euros.
A casa italiana de moda indicou que, ao combinar uma continuada «procura por qualidade estilística e inovação, a expansão internacional da sua rede de retalho e a constante atenção à eficiência», conseguiu um dos níveis mais elevados de crescimento no setor, «e uma significativa melhoria na rentabilidade».
As vendas a retalho aumentaram 37,6%, enquanto as vendas comparáveis cresceram 23%. A Prada revelou que o canal de retalho contribui agora com cerca de 77,9% do volume de negócios do grupo. No final de janeiro, a empresa contava com 388 lojas geridas diretamente. «Após 75 aberturas em 2011, confirmamos a estratégia já comunicada e a abertura de 80 lojas em média por ano para 2012 e 2013», referiu a Prada. Metade destas novas aberturas será em mercados em rápido crescimento, como a Ásia, Médio Oriente, Brasil e Marrocos.
Aliás, a Ásia-Pacífico tem um papel «cada vez mais importante», tendo gerado um volume de negócios de 873 milhões de euros, o que significa um aumento de 42,2% em comparação com o ano anterior. No total do ano, a Europa registou um crescimento de 16,8%, os EUA 20,2% e o Japão 16,2%.
«O nosso grupo experienciou o melhor ano de sempre, uma fase importante que viu a entrada com sucesso da Prada SpA na Bolsa de Valores de Hong Kong», afirmou o CEO, Patrizio Bertelli. «Nos últimos anos, centrámo-nos nas nossas marcas e em desenvolver a rede de retalho, perseguindo uma estratégia que nos permitiu lidar bem com os tempos difíceis do mercado, ao mesmo tempo que aproveitou ao máximo as melhores oportunidades disponíveis em alturas de crescimento. O que foi conseguido até agora com empenho irá ser a base para mais crescimento no futuro. Pretendemos consolidar a posição do grupo como líder no negócio de artigos de luxo em todos os mercados internacionais e iremos continuar a apostar na inovação, qualidade e respeito pela tradição», concluiu Bertelli.
 
fonte: Portugal Textil

11 de abr de 2012

WRONG WEATHER GALLERY INICIA VENDA DE ARTE ONLINE


Desde a sua inauguração em 2009, que a Wrong Weather Gallery tem exposto periodicamente o trabalho de artistas emergentes, mostrando o melhor da cena nacional e internacional com obras marcantes, que retratam diferentes olhares e sensações, sempre numa relação estreita com a Moda. PelaWrong Weather Gallery já passaram importantes nomes como Bruce LaBruce, Katrina del Mar, Konstantinos Menelao, Mustafa Sabbagh e Pierre Debuscherre, entre outros.

Em março passado, a Wrong Weather Gallery abriu as portas ao comércio de arte online. Todas as peças apresentadas em exposições na galeria estão agora disponíveis para compra através da loja online http://www.wrongweather.net/index.php?id=35 
As primeiras obras disponíveis pertencem à exposição “Noetic Corpus: Sojourn of the Soul” de Predrag Pajdic. Artista, designer e comissário, Predrag Pajdic traça uma linha entre o consciente e subconsciente. As suas imagens não conduzem apenas a uma perceção de como o emocional e corpóreo pode ser regulado e controlado pela alma mas oferece também um vislumbre do lugar onde, dentro de nós, reside a alma. Cada rosto transmite a noção da alma como algo não racional, entrando em estados de sonho consciente com os seus olhares penetrantes e posições fantasmagóricas. O trabalho de Predrag Pajdic oferece uma antítese ao minimalismo e, quase sempre em cenários “naturais”, traz uma surpreendente sensação de opulência. Existe uma troca entre o selvagem e o sublime em cada linha e em cada sombra.

10 de abr de 2012

RAF SIMONS ASSUME DIREÇÃO ARTÍSTICA DA CASA DIOR






Desde a saída de John Galliano da casa Dior, surgiram vários rumores sobre quem iria substituir o designer, até então insubstituível. Depois de nos últimos meses terem sido apontados como os favoritos Marc Jacobs, da Louis Vuitton, e Alber Elbaz, da Lanvin, a especulação chega agora ao fim. O escolhido para assumir o cargo de diretor artístico da casa parisiense é o designer de moda belga, Raf Simons.
Após sete anos na direção artística da Jil Sander, Raf Simons anunciou a sua saída em fevereiro passado, aquando da apresentação da sua última coleção para a casa, na Semana de Moda de Milão. Eleito pela Dior para suceder a John Galliano, o designer belga depara-se agora com as inevitáveis comparações com o seu antecessor. Raf Simons distingue-se por um estilo minimalista e futurista, oposto ao de Galliano. "Raf Simons vai inspirar e impulsionar no século XXI o estilo que Dior lançou na abertura da sua casa e que mudou, desde a sua primeira coleção, os padrões da elegância mundial”, lê-se no comunicado de imprensa divulgado pelo grupo Moët Henessy Louis Vuitton (LVMH), detentor da Dior.
Responsável pelas linhas de Alta Costura, pronto-a-vestir e acessórios de senhora, Raf Simons vai iniciar já as suas funções, apresentando a sua primeira coleção no próximo mês de julho, na Semana de Alta Costura de Paris. Para o designer belga, a Dior simboliza “o máximo em elegância e requinte”, sendo por isso um motivo de grande alegria ter sido o escolhido. “É uma honra tornar-me diretor artístico da casa francesa mais famosa do mundo”, afirmou.

GUIA DE EXPOSIÇÕES

Nesta primavera, são múltiplas as exposições dedicadas à moda e à fotografia que pode visitar em Madrid, Paris, Londres ou Nova Iorque. Se tem viagem marcada para alguma destas grandes capitais, deixamos-lhe algumas sugestões:
Em Madrid, a CaixaForum apresenta, até 3 de junho, “Los Ballets Rusos – Serguéi Diaghilev, cuando el arte baila con la música”, uma exposição organizada pelo Victoria and Albert Museum de Londres, que resume a evolução da dança no início do século XX, através da companhia Ballets Rusosde Serguéi Diaghilev. Destacam-se os figurinos e cenografias resultantes da colaboração com Matisse, Picasso, Braque e Chanel. (Pode fazer uma visita virtual à exposição AQUI)
Em Paris, o Musée des Arts Décoratifs conta a história de uma parceria de sucesso: Louis Vuitton e Marc Jacobs. Até 16 de setembro, os visitantes do museu são convidados a mergulhar na história da Louis Vuitton e a rever algumas das criações mais emblemáticas de Marc Jacobs para a famosa casa de moda francesa.
A primeira retrospetiva do trabalho de Helmut Newton realizada após a sua morte pode também ser vista em Paris. Mais de 200 imagens, entre fotografias originais e vintage, polaroids e imagens de grande formato escolhidas por Jude Newton, mulher do fotógrafo, estão em exibição no Gran Palais, até 17 de junho.
Em Londres, o Victoria and Albert Museum reabre a sua galeria de moda com “Ballgowns – British Glamour since 1950”, uma homenagem ao vestido de noite e ao glamour britânico dos últimos 60 anos. Vestidos que pertenceram à Rainha Elizabeth e à Princesa Diana, e criações de Alexander McQueen, Gareth Pugh, Catherine Walker, Vivienne Westwood, Victor Edelstein, entre outros, estarão em exibição de 19 de maio a 6 de janeiro de 2013.
Também em Londres, o Design Museum apresenta, até 1 de julho, a primeira retrospetiva no Reino Unido de Christian Louboutin. A exposição celebra os 20 anos de carreira do icónico designer francês, revelando a arte e a teatralidade dos seus sapatos, considerados como o epítome de estilo, glamour, feminilidade e elegância. Os visitantes têm ainda a oportunidade de ficar a conhecer o processo de design de Louboutin e saber como os seus sapatos são construídos, desde o desenho inicial e primeiro protótipo até à produção na fábrica.
Já em Nova Iorque, o Fashion Institute of Technology apresenta outras três grandes mostras: “Impact – 50 years of the CFDA” celebra o 50º aniversário do CFDA (Council of Fashion Designers of America), com peças dos 50 criadores mais importantes desse período; “Youthquake – The 60s fashion revolution” retrata a influência da cultura jovem na década de 60; e por último “Highlights from the collection of the Museum at FIT”expõe as peças mais importantes do Museu FIT.

9 de abr de 2012

A NOVA E-SHOP ALEXANDER MCQUEEN



Sandálias esculturais, vestidos cintados,clutches, lenços em seda ... As coleções de pronto-a-vestir e acessórios da marca Alexander McQueen e da segunda linha, McQ, estão agora disponíveis na nova e-shop www.alexandermcqueen.com.
Com um design clean, o website disponibiliza não só as novas coleções desenhadas por Sarah Burton, e edições especiais de lançamento - como a The Coral Box Clutch, o lenço Flower Skull e, para homem, os ténis Puma Alexander McQueen ‘Deck’ - mas revisita também as icónicas criações de Alexander McQueen. Vídeos dos desfiles, imagens de lookbook e projetos especiais dão a conhecer toda a história da marca.
Vale a pena ver!

MUSEU BMW DE MUNIQUE EXPÕE OBRA DE RENÉ GRUAU



Poderoso, marcante, sofisticado: René Gruau. O museu BMW, em Munique, dedica uma exposição especial ao célebre ilustrador de moda e publicidade, falecido em 2004. Até 30 de junho, estão em exibição 80 trabalhos originais do artista, do período compreendido entre 1946 e 2000. 


René Gruau nasceu em Rimini, Itália, em 1909 como Renato Zavagli Ricciardelli. Publicou os seus primeiros trabalhos com apenas 14 anos e quatro anos mais tarde já fazia ilustrações para revistas italianas, alemães e britânicas. No início da década de 1930 mudou-se para Paris.
Quando Christian Dior, seu amigo próximo, abriu a sua casa de moda em 1947, Gruau foi convidado a criar as imagens gráficas de todos os perfumes Dior, e tornou-se rapidamente o artista preferido da indústria do luxo e das principais revistas de moda. A partir de 1989, retrospetivas da sua obra foram apresentadas em Paris, Roma, Munique, Colónia, Nova Iorque, Tóquio e Londres. Gruau morreu em Roma em 2004, mas os seus elegantes traços continuam a influenciar a ilustração de moda e publicidade até hoje.
Se gosta de ilustração e tem viagem marcada para Munique, não perca esta grande oportunidade de conhecer de perto a obra de Gruau.