7 de abr de 2013

H&M dá show na Cidade-Luz


O gigante sueco não esteve “in” nem “out”, mas à margem da Semana de Moda de Paris. Sem cerimónia, mas com megafesta à qual não faltaram personalidades do mundo moda e célebres modelos, a marca de classe económica conseguiu sobressair entre os muitos desfiles das mais icónicas casas de luxo.   
dummy

H&M dá show na Cidade-Luz
A H&M fez-se de convidada para a Semana de Moda de Paris, apresentado um desfile no segundo dia do calendário num dos mais belos espaços da capital francesa, o Museu Rodin. Foi a primeira vez que o gigante sueco mostrou uma coleção de moda à margem de uma “fashion week” e, para isso, não poupou meios nem tostões.
Uma enorme tenda branca, com cerca de 200 metros de comprimento, foi instalada nos jardins do museu, que no passado acolheu prestigiosos desfiles, nomeadamente das casas Dior e Saint Laurent. No interior, uma dúzia de aposentos foram reproduzidos de forma a constituir uma mansão. Os convidados foram instalados à volta de uma mesa ou na sala de estar ou no quarto de banho. Entre as várias personalidades do mundo da moda presentes encontravam-se a fotógrafa Ellen Von Unwerth ou ainda Carine Roitfeld, ex-diretora da Vogue Paris. 
A atmosfera, muito descontraída e musical, foi mais a de uma megafesta noturna do que de um desfile. O programa incluiu, no entanto, perneiras, longas camisolas e vestidos de noite. O preto dominou esta coleção que chegará às lojas em setembro. Mas acima de tudo, a H&M conseguiu reunir, e vestir, as maiores modelos do momento: Cara Delavingne, Isabeli Fontana, Joan Smalls, Arizona Muse,… No final do show, a noite continuou com a atuação dos "2Many DJ's", igualmente na moda. Desta forma, a H&M conseguiu criar bastante buzz entre o line-up dos desfiles de ilustres e luxuosas casas de moda. O desfile da marca sueca foi realizado na mesma noite que o da Thierry Mugler e poucas horas antes da estreia de Alexander Wang na Balenciaga, agendada para a manhã do dia seguinte.
Porquê durante a Semana de Moda? «Para chegar à imprensa de moda, francesa e internacional, que está presente em Paris neste momento», respondeu a H&M. E porquê em Paris e não durante a Semana de Moda de Nova Iorque, Londres ou Milão? «Paris, capital mundial da moda, impôs-se a nós», retorquiu a marca sueca.
«É uma prova da força da semana parisiense: tem que se estar aqui porque é onde estão os profissionais e a imprensa internacional», explicou, por seu lado, Didier Grumbach, presidente da Fédération Française de la Couture et du Prêt-à-Porter, na véspera do desfile. Mas criticou «um método um tanto ousado»: «aproveitar este ponto de encontro para atrair a imprensa não me agradou nada».
Donald Potard, consultor no negócio do luxo, também se mostrou algo reticente. «Se é para mostrar uma coleção puramente comercial, não vale a pena subir à passerelle», afirmou. «Durante uma semana de moda, há inúmeros desfiles e eu sou mais apologista de dar espaço aos jovens criadores que tanto se esforçam por estar presentes», advogou, sem deixar de desafiar a H&M a trabalhar com esses novos talentos.
De qualquer forma, o gigante sueco provou que sabe como criar buzz em Paris e até Los Angeles. No sábado prévio ao seu desfile, noite de Oscars na cidade dos anjos, a atriz Helen Hunt, nomeada na categoria de melhor atriz secundária, não passou despercebida. Enquanto as suas conterrâneas estavam vestidas em alta-costura Dior, Valentino ou Armani, Hunt envergava um longo vestido sem alças azul-escuro em cetim assinado… H&M. Um vestido concebido especialmente para ela e que já deu a volta ao mundo, pela Internet.

Fonte: AFP