26 de out de 2011

CHUVA DE TALENTO NO PORTO


Bértille Goux, da escola francesa Atelier Chardon Savard, foi a grande vencedora do Porto Fashion Show. O concurso de jovens designers de moda organizado pelo CENIT premiou ainda o talento de Joana Lima, Laura Herranz, Monsieur Bul e Maurizio Bontadi, numa final muito disputada na passerelle do Portugal Fashion.
dummy
Chuva de talento no Porto
Nem a chuva que se abateu sobre o Porto no passado domingo afastou o público da passerelle do Portugal Fashion para assistir ao Porto Fashion Show, o concurso de jovens criadores organizado pelo CENIT, cuja final trouxe a Portugal jovens talentos de prestigiadas escolas de moda europeias.
A colecção “Chroma” valeu a Bértille Goux o reconhecimento do júri internacional presidido por Felipe Oliveira Baptista e um prémio total de 12.000 euros (2.000 euros por ter sido a vencedora de França e 10.000 euros por vencer o concurso), que a concorrente francesa pretende investir na sua carreira. «O Porto Fashion Show foi um super-trampolim. Não estava à espera. Vou investir este dinheiro na preparação do dossier e da minha colecção para concorrer ao Festival d’Hyères», explicou a jovem designer de 21 anos, que procura, assim, seguir um caminho já percorrido por alguns dos grandes nomes da moda internacional, como Felipe Oliveira Baptista, que venceu o grande prémio do Festival d’Hyères em 2002.
«Foi uma decisão muito difícil porque reuniu-se um grupo de participantes bastante talentosos», sublinhou Felipe Oliveira Baptista, que ressalvou a importância deste concurso e da sua continuidade. «A iniciativa é óptima e tem de ser felicitada. Mas, tal como todos os concursos do género, abre questões de como deverá evoluir no futuro», acrescentou o presidente do júri, actual director criativo da Lacoste.
Também a portuguesa Joana Lima brilhou na passerelle. A terminar o curso de design de moda no Modatex, depois de ter iniciado o seu percurso com a frequência da licenciatura em Artes Plásticas, vertente Pintura, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Joana Lima está agora a afirmar-se no mundo da moda. Para além dos elogios do júri e de ter arrecadado o prémio do Porto Fashion Show por país (vencedora de Portugal), a jovem designer prepara-se para uma nova aventura em Novembro: é a mais recente aquisição da Tommy Hilfiger. «Nas últimas três semanas, a minha vida mudou radicalmente», afirmou Joana Lima. «Mais do que o dinheiro, importa o investimento que o Porto Fashion Show fez para que o trabalho de jovens designers seja reconhecido, sobretudo nesta fase complicada de lançamento no mercado», sublinhou.
Laura Henranz, estudante do Centro Superior de Diseño de Moda de Madrid, arrecadou o prémio destinado a Espanha com a colecção Tarantela, inspirada na tradicional dança italiana, e depois da experiência de colaboração com a marca espanhola Ana Locking e com a revista Linked Magazine, pretende crescer na moda com a ajuda deste prémio. «Não esperava. Fiquei em estado de choque. Achei que a vencedora seria outra das minhas colegas, que eram também muito boas. Estou muito contente e vou usar este prémio para investir no meu crescimento enquanto designer, para continuar a minha formação com um Master em moda em França ou Inglaterra no próximo ano», revelou a jovem designer de apenas 22 anos.
Monsieur Bul é a marca belga que mereceu a distinção do júri no Porto Fashion Show, com o prémio destinado à Bélgica. Julien Brennecke e Sébastien Denies, da Helmo School, são os designers por detrás desta marca, com um percurso no mundo da moda que inclui um estágio com Jean-Charles de Castelbajac e Christophe Coppens, respectivamente. A colecção que estes jovens talentos apresentaram no Porto Fashion Show, inspirada no trabalho de Le Corbusier, valeu-lhes o prémio de 2.000 euros e está já à venda em 10 lojas multimarca, na Bélgica, França e Japão. «Este prémio mostra que o meu trabalho agradou. Foi muito gratificante receber um prémio destes das mãos de um júri profissional como o do Porto Fashion Show», revelou Sébastien Denies.
No que respeita a Itália, a colecção masculina pós-atómica de Maurizio Bontadi, do Istituto Marangoni, mereceu o destaque do júri, com os materiais técnicos como vinil, polipropileno e poliuretano a evidenciarem-se. «Foi uma surpresa total vencer este prémio. Não estava à espera, sobretudo porque apresentei uma colecção de homem. Vou aplicar este dinheiro na criação da minha própria etiqueta», revelou o jovem designer.
«É importante não perder esta dinâmica do Porto Fashion Show», destacou Ana Mesquita, PR do Porto Fashion Show. A jornalista de moda mostrou-se ainda impressionada com «a motivação e dedicação de todos os envolvidos neste projecto».
Os premiados do Porto Fashion Show foram escolhidos por um júri internacional que, além do criador português Felipe Oliveira Baptista, incluiu Catarina Rito, jornalista de moda do Diário de Notícias, actualmente nomeada para os Fashion Awards para melhor comunicação de imprensa, Sébastian Alcalá, director das revistas de moda espanholas Novias e Pasarelas Internacionales, Sophie Guyot, directora do salão de moda parisiense Who’s Next, Luca Larenza, designer de moda italiano, cuja popularidade tem vindo a crescer de colecção para colecção, estando já à venda na mais conhecida rua de compras de luxo de Milão – Via Montenapoleone –, e Linda Van Waesberge, reputada stylist belga com trabalhos nas mais prestigiadas revistas de moda do seu país.
 
Fonte: Portugal Textil