8 de nov de 2011

GUERRA ABERTA NAS SEMANAS DA MODA

Milão e Nova Iorque declararam guerra e já fizeram a primeira vítima: Londres. As organizações não se entendem sobre as datas das suas respectivas Semanas de Moda para a Primavera-Verão 2013, que arriscam entrar em colisão face à sobreposição de calendários.
dummy
Guerra aberta nas semanas de moda

Em geral, as Semanas de Moda sucedem-se: oito dias para Nova Iorque, depois cinco para Londres, sete para Milão e, por fim, nove dias para Paris. E isto duas vezes por ano.
Para o Outono 2012, esta ordem foi alterada, criando um quebra-cabeças para os jornalistas e sobretudo para os compradores dos grandes armazéns e lojas multimarca. Na origem está o calendário da Semana de Moda de Milão que se sobrepõe ao último dia da Semana de Nova Iorque e à totalidade dos desfiles da Semana da Moda de Londres. E para as casas de moda, este conflito tem consequências ainda mais terríveis. Como imaginar que ninguém assistirá ao seu desfile, que custa tão caro e é a montra por excelência da marca?
Os causadores desta tormenta no planeta Moda foram, contudo, os responsáveis pela organização da Semana de Moda de Nova Iorque que, sem concertação com os seus pares, decidiram avançar as suas datas para de 13 a 20 de Setembro de 2012. Londres, por sua vez, também avançou as suas datas para de 21 a 25 de Setembro de forma a acompanhar Nova Iorque. E aí Milão reagiu. Nada de alterar datas, retorquiu a Camera Nazionale della Moda Italiana, justificando-se com o curto espaço de tempo que restaria à indústria para produzir as colecções.
Uma posição que o seu presidente, Mario Boselli, reiteraria dias depois: Milão não modificará as datas inicialmente previstas antes dos anúncios «surpresa» de Nova Iorque e de Londres. Os jornalistas de moda e os compradores terão, assim, que escolher o seu campo.
Milão tinha informado já em Março de 2010 todo o sector da moda que os seus desfiles decorreriam de 19 a 25 de Setembro de 2012, «na medida em que nenhum outro acordo tinha sido concluído e nenhuma objecção tinha sido levantada sob este tema». Denunciando uma atitude «arrogante e agressiva» por parte de Nova Iorque e de Londres, que avançam na sua opinião «argumentos injustos que visam impor unilateralmente decisões sem acordo», Boselli diz-se todavia aberto à discussão… para as datas «a partir de 2013».
Nova Iorque, por seu lado, cita um acordo datado de 2008 entre as quatro capitais segundo o qual a sua semana deverá começar na segunda quinta-feira do mês de Setembro. O que cai, este ano, mais tarde do que é habitual.
No entanto, para Milão e Paris, Nova Iorque está a agir de má fé. Este acordo, de há três anos atrás, não pode ser reconduzido de forma tácita. O CFDA, que organiza os desfiles nova-iorquinos, espera ainda ultrapassar o impasse. «Estamos em discussões contínuas com todas as cidades e a trabalhar para encontrar uma solução para o conflito no curto prazo mas também um acordo no longo prazo», explicou Steven Kolb, CEO da organização norte-americana. Sublinhando o que está em jogo, Kolb afirma que «se Nova Iorque, Milão e Londres apresentam desfiles sobrepostos, todos estamos em perigo». Daí a urgência de «encontrar uma solução que responda aos interesses das quatro cidades».
Do ponto de vista económico, as Semanas de Moda de Milão e de Paris pesam consideravelmente mais do que Londres e até Nova Iorque. Segundo diversos observadores, a capital britânica é a grande perdedora do conflito, já que os seus desfiles correm seriamente o risco de se verem preteridos face a Milão. 
Apenas Paris, que termina a maratona dos 29 dias habituais de desfiles, escapa a esta guerra de calendários. A Cidade-Luz mantém as datas anunciadas na última Primavera, de 25 de Setembro a 3 de Outubro e, deste modo, sem qualquer rota de colisão com as outras Semanas da Moda.   

Fonte: AFP