1 de jun de 2013

Homem suave como seda

A seda, só ou em misturas com lã, algodão e linho, é uma das grandes tendências para este verão, interpretada por grandes nomes da moda, como Ermenegildo Zegna e Etro, em casacos e fatos que prometem implantar definitivamente a suavidade no guarda-roupa dos homens.  
dummy
Homem suave como seda
Este verão, a rota da seda está a tomar uma nova direção, conduzida não da Índia, mas de Itália. E a moda masculina – dos fatos às camisas, calças e até gabardinas – está a ser reinventada com esta fibra de luxo.
A nova gama Passion for Silk (ou paixão pela seda, em português) da Ermenegildo Zegna inclui casacos de corte clássico com botões em madrepérola, calças a combinar e camisas em seda estampadas. «A seda tem propriedades extraordinárias», afirma Anna Zegna, diretora de imagem da marca italiana. «É versátil e luxuosa, mas é também a fibra ideal para criar uma silhueta moderna e masculina», acrescenta.
A Etro propõe também vários casacos e fatos em seda para a primavera-verão em todas as cores e feitios, desde os ousados padrões com cornucópias a tons conservadores como azul-acinzentado com acabamentos mais em bruto. A seda «é tanto prática como esotérica», considera o diretor criativo Kean Etro. «Absorve a cor como nenhum outro material e acrescenta riqueza ao tecido. Consegue-se todo o tipo de efeitos com a seda. Pode ser áspero ou suave, mate ou brilhante», acrescenta.
Mas será que os homens usam realmente seda? Para além das associações femininas habituais, não é, apesar das alegações da Etro de que é prático, o tecido mais fácil de cuidar: mancha e enruga, isto sem falar das contas da limpeza a seco.
Zegna acredita, contudo, que a resposta é claramente «sim». Com efeito, em 2009, o grupo investiu na fibra e comprou a Tessitura di Novara, uma empresa sediada no norte de Itália que produz seda desde 1932. Agora, tal como a principal base de produção da Zegna, a gama de seda da marca pode ser fiada, tingida, tecida e acabada completamente dentro de portas.
«Foi apenas depois de termos acabado a nossa atual coleção que vi a campanha Passion for Silk da Zegna», afirma Etro. «Estou certo que as pessoas pensam que nos juntamos e decidimos estas coisas antecipadamente, mas juro que não», assegura.
Em Londres, o alfaiate de Savile Row Richard James notou uma crescente procura por seda nos últimos anos, sobretudo em consumidores do feito à medida. «Não tenho a certeza se os homens alguma vez pensaram que a seda era demasiado feminina», afirma. «Lenços de bolso em seda, forro em seda, gravatas em seda, camisas em seda, meias com seda… Diria que os homens sempre abraçaram a seda e a usaram de forma inteligente como meio de autoexpressão. A seda acrescenta um pouco de glamour, por isso é perfeita para vestuário de noite», sublinha.
A seda é também uma forma de fazer uma afirmação – veja-se o casaco de smoking lilás de Tom Ford ou a gabardina em azul metálico da Burberry Prorsum.
Mas e a questão de cuidar da seda? «Na verdade não é muito mais difícil do que cuidar de outro tecido de luxo», considera James. «Mas é preciso cuidar dele. Não é poliéster!», sublinha. Já Etro insiste que a seda é «a maior trabalhadora» de todos os tecidos, citando a sua versatilidade.
Se a seda pura pode ser um passo de alfaiataria demasiado grande, é fácil de vender quando misturada com outras fibras tradicionais. «Muitas vezes misturamos com alguma lã, para lhe dar corpo, ou algodão para um look mais casual», explica Etro.
James concorda. «Misturar seda com linho, lã ou algodão dá-lhe mais estrutura e torna-a mais fácil de trabalhar. Acrescenta um toque de definição ao tecido, dando-lhe brilho, o que cria uma silhueta clean. As misturas de lã e seda são populares nesta estação. Tal como as misturas de linho com seda: a rudeza do linho combina perfeitamente com a elegância da seda».
Os tecidos que misturam seda funcionam para o dia a dia, como os blazers com um único botão em linho, lã e seda da Brioni, os casacos em caxemira e seda da Lorna Piano ou os casacos em algodão e seda da Sandro.
É, por isso, provável que na compra do próximo casaco de verão, os homens vejam na etiqueta uma das fibras mais “quentes” desta estação: a seda.
Fonte: Financial Times