27 de fev de 2013

O sonho da Cinderela

A exposição Shoe Obsession, patente no museu do Fashion Institute of Technology até abril, dá provas da paixão universal das mulheres pelos sapatos, com modelos extraordinários de designers incontornáveis como Manolo Blahnik, Christian Louboutin, Norikata Tatehana, Prada e Repetto. 



dummy
O sonho da Cinderela
Algures entre os saltos altos de Carrie Bradshaw e o próximo filme de Halle Berry “Shoe Addicts Anonymous” (sobre um grupo de apoio de viciados em sapatos), está a Shoe Obsession, uma exposição no museu do Fashion Institute of Technology (FIT), em Nova Iorque, que analisa a paixão universal por sapatos fabulosos.
Valerie Steele, diretora do museu e co-curadora da mostra, revela que «temos visto uma escalada no interesse por calçado nos últimos 10 anos, com designers como Nicholas Kirkwood a concorrerem com mestres como Manolo Blahnik e Christian Louboutin. Isto vai além do cultural e do sexual. A alta moda tornou-se mais cara e conservadora e as pessoas estão a ter mais retorno pelo seu dinheiro com os acessórios. Desde há alguns anos, o calçado ultrapassou as bolsas».
Embora a coleção de calçado do FIT compreenda mais de 4.000 pares, a mostra apresenta 150 exemplos de sapatos contemporâneos de mais de 50 designers. A Shoe Obsession destaca «os estilos extremos e imaginativos que tornaram o calçado fundamental para a moda», refere o instituto.
Exemplos em exposição incluem os sapatos d’Orsay prateados com fivela de Manolo Blahnik, que apareceram em 2003 num episódio da série “O Sexo e a Cidade” chamado de “O direito da mulher a sapatos”; os saltos Pigalle de Christian Louboutin, dos seus desfiles de outono; os Eyelash Heel Pump by Bruno Frisoni da coleção de outono de Roger Vivier; modelos de Pierre Hardy e Lanvin; e os saltos altos em preto e branco desenhados por Nicholas Kirkwood e pelo artista Keith Haring. Os sapatos Lady Pointe de Norikata Tatehana, como os usados por Lady Gaga, estão também em exposição.
Vários conhecidos colecionadores de sapatos estão também em destaque, incluindo Daphne Guinness (que emprestou alguns dos seus sapatos para a exposição, incluindo exemplos extremos de Alexander McQueen e Nina Ricci) e a designer de joalharia Lynn Ban, que detém 20 pares de sapatos desenhado por Azzedine Alaïa e três pares “com chamas” da coleção da primavera 2012 da Prada, exemplos que estão também patentes nesta mostra.
A Baronesa Monica von Neumann, cuja paixão por saltos altos elegantes ficou demonstrada no documentário de 2011 God Save My Shoes (Deus Salve os Meus Sapatos), estará representada com estilos de marcas de luxo eminentes como Gucci e Hermès.
Dory Benami, ex-diretor de operações na United Nude, uma marca de calçado co-fundada pelo arquiteto Rem Koolhaas e muito amada pelos fetichistas do calçado, revelou ao Financial Times que «as mulheres avaliam-se por quantos pares têm. E já vi mulheres que tinham centenas de pares da mesma marca».
Steele, que tem cerca de 50 pares de sapatos, sobretudo da Repetto, diz que «vício e obsessão encaixam aqui. Já fiz trabalho na área dos fetiches sexuais, que têm algum do apelo dos sapatos para os homens. Para as mulheres tem a ver com a moda e os saltos altos são um pináculo fundamental de feminilidade».
A exposição, cujo acesso é gratuito, estará patente até 13 de abril.


Fonte: Portugal Têxtil