25 de fev de 2013

Fatos tintos de castanho

Durante anos associado ao vestuário do campo, o castanho está a conquistar os homens no vestuário formal, num toque de ousadia que mantém, contudo, a elegância exigida. Uma tendência vista igualmente na passerelle e nos alfaiates de Savile Row, que explicam como usar a cor sem deixar de se destacar. 


dummy
Fatos tintos de castanho

Numa altura em que Silvio Berlusconi, Mario Monti e companhia se preparam para as muito faladas eleições deste fim de semana, que coincidem com a Semana de Moda de Milão, os observadores políticos podem antecipar uma série de presenças na televisão, reportagens e… fatos castanhos. Talvez mais do que qualquer outro dos seus homólogos internacionais, os homens de negócios italianos estão confortáveis com a ideia de juntarem uma camisa azul, uma velha gravata, talvez o florido de um lenço de bolso, uns sapatos polidos e um fato cor de tabaco para fazer uma declaração durante o dia. Noutros países do mundo, contudo, «castanho na cidade» pode ainda ser controverso.
«Na minha opinião, o castanho tem um impacto menor na cidade e é ainda considerado de risco», afirma Colin Heywood, gestor nos alfaiates Anderson & Sheppard. «É a cor para o fim de semana ou para o campo. Não é coincidência que a maior parte dos livros de tweeds contenham sobretudo castanhos mas muito poucos livros de fatos o tenham, por isso qualquer cliente que deseje um fato castanho terá as suas opções muito limitadas», acrescenta.
Contudo, as coisas estão a mudar. «É verdade que, para uma mente mais conservadora, o castanho ainda é a cor do vestuário do campo», explica John Blanco, diretor de fatos à medida na Gieves & Hawkes. «Mas, atualmente, os homens estão, em geral, mais atentos ao que lhes fica melhor e dispostos a contornar as regras», refere.
Tons ricos desta cor surgiram sub-repticiamente nas coleções de vestuário de homem para a próxima primavera-verão, desde os fatos largos tom de tabaco de Dries Van Noten e fatos de trespasse justos da Dolce & Gabbana até aos elegantes duas peças em tom de chocolate negro da Kenzo. Sem mencionar as luxuosas camadas casuais em tons de castanho-avermelhado na Bottega Veneta, Belstaff e Trussardi. A marca londrina Rake até mostrou um casaco de smoking em seda brilhante em tom de teca.
«Pensei muitas vezes que os homens eram resistentes ao castanho simplesmente porque é uma palavra aborrecida», diz Richard James, mestre de cor em Savile Row. «Mas o castanho cobre um vasto leque de tons que soam bem mais atrativos. É uma cor que realmente oferece muitas opções para se trabalhar», aponta.
«O castanho foi muito popular nos anos 30 e anos 40», revela Edward Sexton, conhecido alfaiate e consultor criativo na Chester Barrie. «Se fosse possível ver aqueles filmes antigos a cores, ficaríamos espantados com quantos fatos castanhos bonitos eram usados. Hoje é raro um homem que use um fato castanho – tende a ser um cliente com um sentido de estilo muito bom e olho para a cor, que tem confiança para criar todo um visual à volta do castanho. Mas não é tão difícil como as pessoas julgam. E funciona bem para um visual aprumado. Acabamos por descobrir que os clientes que querem um fato castanho optam por tons muito escuros, já que mantêm o aspeto formal», acrescenta.
Mei Chung, comprador sénior de vestuário de homem na loja londrina Browns, refere que «como o castanho é produzido através de uma mistura de cores, é importante ter a mistura certa. Designers como Jil Sander, Ann Demeulemeester e Dries Van Noten injetam “lavagens” aos castanhos que usam para criar um aspeto vintage ou esfumado», revela.
Mas alguns alfaiates são menos comedidos. Richard James, que apostou em xadrez Príncipe de Gales, tweeds Donegal e padrões em espinha castanhos no seu mais recente desfile em Londres, afirma que «é uma cor de base fantástica para se trabalhar porque, tal como o cinzento, destaca outras cores de forma maravilhosa. Os nosso xadrez Príncipe de Gales apresenta invariavelmente sobreposições de xadrez fortes e o tweed Donegal está cheios de cor. Também produzimos vários alfinetes em castanho e riscas em giz com riscas a contrastar: azul-céu e turquesa funcionam particularmente bem».
Para os que não estão completamente convencidos, Chung aconselha a «começar com apontamentos de castanho, como uma peça em malha, uma camisa ou um lenço para conjugar com o que já têm». Max Summerskill, diretor de vestuário de homem na Alfred Dunhill, concorda. «Um pouco de castanho pode funcionar com o vestuário formal, num fato em azul-marinho escuro ou cinzento. Acrescentar uns sapatos em couro castanho-escuro e uma gravata em seda ou malha cor de chocolate com uma camisa às riscas azuis pode dar um visual realmente sofisticado. Mas manteria o castanho como uma cor acessória», explica.
De qualquer forma, afirma James, o tom «oferece uma alternativa inteligente e lisonjeadora à norma. Um homem destaca-se em castanho, mas não de forma tão óbvia». 

Fonte: Financial Times