17 de mar de 2013

Conforto ao frio


Na mais recente Semana de Moda de Nova Iorque, os criadores deixaram de lado os tecidos leves e apostaram em casacos oversized em lã e pelos para acentuarem o conforto essencial ao outono e inverno, sem esquecer o estilo das mulheres modernas e ativas.
dummy

Conforto ao frio
Para o próximo outono-inverno, os criadores de moda revelaram propostas quentes e confortáveis na última Semana de Moda de Nova Iorque, com os casacos oversized em lã, o destaque das ancas e a utilização de peles e pelos entre as tendências mais evidentes.
Super-abrigo
Passo a passo chegaram os casacos oversized, gigantes inspirados no vestuário de homem. Da flanela cinzenta à lã azul-marinho, ao xadrez nos pea coat – um casaco geralmente em lã grossa, com abotoamento duplo e gola larga – a passerelle cobriu-se – literal e metaforicamente – do tipo de abrigos que pode albergar uma aldeia. É menos um aceno ao romance de ter um artigo demasiado grande do guarda-roupa do namorado ou marido e mais um reflexo da atual tendência de ficar mais forte, que já se viu com o regresso do fato. Estes casacos cobrem todos os pecados, criando a sua própria zona de conforto psicológico e físico. Dão ainda um certo look vintage e embora não publicitem as suas origens nobres, não há dúvidas que, pela quantidade e qualidade do tecido, são o expoente máximo do luxo.    
Atenção às curvas
A mais recente área da fisionomia feminina a ficar sob “os olhares” dos designers são as ancas, que foram dobradas, drapeadas e almofadadas em proporções enormes. Na passerelle, cria uma cintura minúscula e, por consequência, uma declaração de força das supercurvas, mas fora da passerelle é uma proposta difícil: a maior parte das mulheres prefere disfarçar essa área, não chamando a atenção de toda a gente para ela. Em vez de uma mera perversidade da moda criada para torturar as consumidoras, contudo, o movimento “anca” parece ser mais uma referência desejável ao New Look da Dior, quando metros de organza celebraram o fim do racionamento do tempo da guerra.
Bárbaro chique
Bárbaros à vista: embora tenha havido uma quantidade considerável de peles nas passerelles – afinal, é a coleção para o outono-inverno – não é o habitual tipo de pelo por todo o lado. Pelo contrário, peles de raposa e marta são usadas como complemento, a maior parte das vezes nos ombros, pescoço e braços, e muitas vezes com o pelo completo. O efeito é de armadura – pelos para ter poder de proteção – e um pouco feroz, dando a noção que nem tudo é tão suave ou contido como a lã normalmente sugere. De qualquer forma, as camadas interiores mais simples permitem o chique bárbaro sem o volume, o que nas ruas da cidade permite ter a atitude sem perder a silhueta. Nunca o Conan pareceu tão bem.
Fonte: Financial Times